Teleférico de Canela é interditado após 2 acidentes em uma semana

Ministério Público Estadual abriu inquérito após um casal cair do aparelho, que é uma das atrações da cidade gaúcha

Daniel Cassol, iG Rio Grande do Sul | 14/03/2011 18:40

Compartilhar:

Depois de dois acidentes em uma semana, o teleférico da cidade de Canela, na Serra Gaúcha, foi interditado e passará por uma perícia nos próximos dias. O Ministério Público Estadual abriu um inquérito civil para apurar os dois acidentes.

Na manhã deste domingo, após o descarrilamento do cabo de aço da roldana de uma das torres do equipamento, um casal de médicos do Rio de Janeiro ficou ferido e teve de ser encaminhado ao hospital da cidade. Christian Charles Domenge, de 63 anos, e Carla Ismael, de 55 anos, foram liberados, mas realizariam novos exames em Porto Alegre nesta segunda antes de voltarem ao Rio.

Outro acidente aconteceu na segunda-feira de Carnaval. Os turistas Vinicius Miglioranza, 27 anos, e Mariana Gonçalves, 25, caíram de uma altura de três metros e tiveram ferimentos leves. O teleférico, que proporciona uma visão da Cascata do Caracol, é uma das atrações da cidade de Canela, vizinha a Gramado, na Serra Gaúcha.

A promotora Vera Regina Corino, do Ministério Público de Canela, abriu um inquérito civil para apurar as causas dos acidentes e as condições dos equipamentos. Ela solicitou ao Instituto Geral de Perícias (IGP) uma avaliação do teleférico, o que deve acontecer nesta semana. Enquanto isso, o teleférico permanece fechado para os turistas. “Vamos pedir que sejam tomadas as medidas necessárias para que seja garantida a segurança. Se forem implementadas, poderá voltar a funcionar”, explica a promotora.

A empresa responsável pelo teleférico se manifestou por meio de nota à imprensa. O texto informa que, “após o consentimento dos órgãos competentes”, os técnicos responsáveis pela manutenção do teleférico farão uma avaliação do equipamento. Um laudo de uma empresa de engenharia contratada, emitido após o primeiro acidente, não teria apontado problemas.

Na manhã desta segunda, os proprietários se reuniram com o Corpo de Bombeiros e o Crea. O parque segue aberto a visitações, mas o teleférico, não. Um outro acidente havia sido registrado em novembro de 2008, quando oito pessoas ficaram feridas. A empresa assinou um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público na ocasião.

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo