Tráfico perde R$ 2,5 milhões com apreensões de armas na Rocinha

iG tipificou armas e munições apreendidas durante ocupação policial e contabilizou desfalque sofrido pelos traficantes

Mario Hugo Monken e Bruna Fantti, iG Rio de Janeiro |

Agência OGlobo
Policiais apresentam parte do armamento apreendido

Transcorrido menos de um mês do início da ocupação das forças policiais nas favelas da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, na zona sul do Rio de Janeiro, os traficantes locais podem ter amargado um prejuízo de ao menos R$ 2.477.756 milhões somente com a perda de armas e munições apreendidas.

A estimativa foi realizada pelo iG que consultou os 18 boletins de ocorrência registrados nos primeiros dez dias de operações na 15ª Delegacia, na Gávea, na zona sul. A reportagem identificou cada modelo e calibre de fuzis, pistolas, metralhadoras, carabinas e munições recolhidas nas três comunidades.

Em seguida, conseguiu junto a fontes das polícias Civil, Militar e Federal informações sobre os preços que os traficantes costumam pagar pelo material bélico no chamado "mercado negro" - comercialização feita por contrabandistas que adquirem o armamento em países vizinhos, como o Paraguai e a Bolívia, ou por desvios das forças de segurança.

Leia também : Armas de alta letalidade, em desuso pela polícia, eram usadas no tráfico

De acordo com o delegado da Polícia Federal, Anderson Bichara, titular da Delearm (Delegacia de Repressão ao Tráfico de Armas), os preços chegam a ser cinco vezes maiores que os reais valores dos armamentos. “Um fuzil FAL 7.62, em novo estado, para o tráfico custa entre R$ 40 mil e 60 mil; uma pistola .380 entre R$ 2,5 mil e 4 mil. Já as metralhadoras e submetralhadoras entre R$ 20 mil e 60 mil”, afirmou. Para efeito de cálculo do total, o iG considerou sempre o valor mais baixo.

Nos registros feitos na 15ª DP, constam a apreensão de 70 fuzis, 48 pistolas, cinco metralhadoras, duas carabinas, quatro submetralhadoras, 6 espingardas, além de 25.073 munições, entre essas 8 mil sem especificação - mas nenhuma antiaérea, que tem como característica serem fragmentárias ou incendiárias.

O maior desfalque ocorreu entre os fuzis, com um prejuízo de cerca de R$ 2,17 milhões aos traficantes.
Entre o armamento apreendido, para especialistas, se destacam dois fuzis que usam munição .30-06; uma metralhadora Madsen 762; e um fuzil Hotchkiss no calibre 7x57mm. Essas armas, em desuso pelas forças armadas por serem muito antigas, são armamentos usados em guerras.

“São armas que definimos como apoio de fogo. São barulhentas, não têm precisão de tiro. Eram usadas em guerras, em uma concepção de infantaria”, afirma o especialista em armamentos pesados e editor-chefe da revista Magnum, Lincoln Tendler.

Leia também : Matutos forneciam fuzis a cada 20 dias para a Rocinha

Além dessas armas, foram apreendidos 21 fuzis modelo Fal Imbel 7,62x51mm; 13
AK-47 ; 11 fuzis AR-15 Bushmaster; oito fuzis Colt M16; sete HK-33; quatro Parafal 7,62 x 51 mm; um fuzil G3; um FEG Húngaro; além de um Rugger 556.

Constam ainda nos autos de apreensão da delegacia da Gávea outros três que não tiveram o calibre especificado no boletim de ocorrência. Para efeito de cálculo, o iG usou para cada um o menor preço pago por um fuzil no mercado negro (R$ 10 mil).

Para o comandante em exercício do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), Major André Batista, também co-autor dos livros “Elite da Tropa” vol. 1 e vol. 2, o armamento poderia “sustentar um exército”. Em nota ao levantamento realizado pelo iG, afirmou que “o que representa algum sentido para a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro nessa grande apreensão é justamente o volume de fuzis apreendidos, e sua capacidade de produzir letalidade”.

A subsecretaria de Inteligência e a Delearm ficarão responsáveis por determinar a origem do armamento, que passa por perícia no ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli).

Armas

Quantidade

apreendida

Valor * Total
Fuzil Fal Imbel 7,62x51 mm 21  R$ 35 mil R$ 735 mil
Fuzil Parafal Imbel 7,62x51 mm 4

 R$ 40 mil

R$ 160 mil
Fuzil AK 47 7,62x39 mm 13  R$ 20 mil  R$ 260 mil
Fuzil Bushmaster 5,56x45 mm 11  R$ 25 mil  R$ 275 mil
Fuzil Colt M16  8  R$ 20 mil R$ 160 mil
Fuzil G3 (Heckler&Koch) 7,62x51 mm 1  R$ 35 mil R$ 35 mil
Fuzil Ruger 5,56 mm 1  R$ 10 mil R$ 10 mil
Fuzil Hotchkiss 6  R$ 60 mil R$360 mil
Fuzil FEG Húngaro 1  R$ 35 mil R$ 35 mil
FUZIL .30 BAR 1  R$ 60 mil R$ 60 mil
Fuzil (sem identificação) 3  R$ 10 mil R$ 30 mil
Metralhadora Madsen 762 1  R$ 80 mil R$ 80 mil
Metralhadora URU 2  R$ 4 mil R$ 8 mil
Metralhadora MT 12 1  R$ 4 mil R$ 4 mil
Metralhadora FM 1  R$ 20 mil R$ 20 mil
Submetralhadora UZI 3  R$ 5 mil R$ 15 mil
Submetralhadora (sem identificação) 1 R$ 5 mil R$ 5 mil
Espingarda 12ga. 1 R$ 1,5 mil R$ 1,5 mil
Espingarda Rossi 1 R$ 2,5 mil R$ 2,5 mil
Carabina .30 1 R$ 15 mil R$ 15 mil
Carabina .38 3 R$ 1 mil R$ 3 mil
Pistola .40 S&W 9 R$ 3 mil R$ 27 mil
Pistola Colt 7,65 2 R$ 1 mil R$ 2 mil
Pistola 9 mm Parabellum 3 R$ 1 mil R$ 3 mil
Pistola Taurus .380 ACP 2 R$ 2,5 mil R$ 5 mil
Pistola .45 2 R$ 5 mil R$ 10 mil
Pistola .57 12 R$ 5 mil R$ 60 mil
Pistola Taurus (sem identificação) 13 R$ 1 mil R$ 13 mil
Pistola Bereta (sem identificação) 2 R$ 1 mil R$ 2 mil
Pistola Glock (sem identificação) 1 R$ 1,5 mil R$ 1,5 mil
Pistolas sem identificação 10 R$ 1 mil R$ 10 mil
Munição Fuzil 762 3.749 R$ 10 R$ 37.490
Munição Espingarda 12ga. 1.220 R$ 2  R$ 2.440
Munição .45 ACP 215 R$ 3  R$ 645
Munição 38 SPL 5 R$ 1  R$ 5
Munição fuzil 556 2.169 R$ 4  R$ 8.676
Munição Pistola .40 418 R$ 2  R$ 836
Munição PT 9mm 1.140 R$ 2  R$ 2.280
Munição calibre .30 157 R$ 12  R$ 1.884
Munição Winchester sem calibre 8.000 R$ 2  R$ 16.000
 Total R$ 2.477.756

*Estimativa dos valores repassados ao iG pelas polícias Militar, Civil e Federal do armamento no mercado negro.

    Leia tudo sobre: armasrocinha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG