Antes de Harry, Exército é alvejado por 40 tiros no Alemão

Segundo comandante, confusão começou com acidente de moto. Soldados hostilizados reagiram a hostilidades com balas de borracha

Raphael Gomide e Bia Merched, iG Rio de Janeiro |

AgNews
Príncipe Harry chegou ao Complexo do Alemão após confusão com tiros de borracha
Antes da chegada do príncipe Harry ao Complexo do Alemão, neste sábado (11), moradores e soldados da Força de Pacificação do Exército se enfrentaram na Vila Cruzeiro, uma das favelas da região. De acordo com o Exército, cerca de 40 tiros (de arma curta, mas possivelmente também de fuzil) foram disparados contra a tropa em cinco pontos diferentes, no que pareceu "um ataque orquestrado".

"Aconteceu uma série de ataques em diferentes áreas. Nunca houve episódio parecido nesse horário no histórico da Força de Pacificação", disse o general Tomás Miné Ribeiro Paiva, comandante da Força, que conta com 1.800 homens.

Não foi possível identificar de onde vieram os tiros. Como resposta, os militares afirmaram ter feito apenas disparos de munição não-letal, com espingardas calibre 12.

Leia também: Príncipe Harry quebra o protocolo e conversa com crianças no morro

O local não fazia parte do trajeto de Harry e não há notícia de feridos graves. Apenas uma pessoa teria ficado ferida pelos disparos. Três pessoas foram detidas.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Saúde informou que não há notícia de registro de feridos no Hospital Getúlio Vargas, vizinho do Complexo do Alemão.

Leia também: Elas querem ser princesas

De acordo com o general Tomás, após um acidente de moto, formou-se uma confusão. Com a chegada de militares da Pacificação, houve discussões com os moradores, que passaram a jogar pedras, pedaços de pau e garrafas contra os soldados. Ainda há hostilidades frequentes da população em relação à tropa. O tom subiu rapidamente e os soldados dispararam para dispersar a multidão que se formava.

Vera Araújo/Agência O Globo
Acampamento da tropa paraquedista, primeira no Complexo do Alemão
Leia também: "Tráfico incita população contra o Exército", diz comandante

Quando Harry chegou ao Morro do Adeus, em área não tão próxima ao local do conflito, não era possível ver nenhuma conseqüência do episódio.

O episódio talvez não assustasse o príncipe. Harry é piloto militar de helicóptero do Exército Real britânico, onde é conhecido por capitão Gales.

Harry andou no teleférico do Alemão e desembarcou na Estação Palmeiras, a última do equipamento do PAC. Caminhou um pouco na comunidade, onde foi recebido pelo general Tomás e pelo secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame. Ele também jogou cricket com as crianças moradoras da área.

Leia também: Construído por R$ 210 mi, teleférico do Alemão custa R$ 6,70 ao Rio por viagem

    Leia tudo sobre: HarrypríncipeComplexo do Alemãoviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG