Advogado visitava cliente em prédio que desabou

Franklin Machado conversava com a mulher ao telefone quando ouviu o barulho do desabamento

Beatriz Merched, iG Rio de Janeiro |

Beatriz Merched/iG
César Sabará procura o cunhado em prédio que desabou no centro do Rio
“Amor, depois eu te ligo porque o barulho aqui está estarrecedor”, disse o advogado Franklin Machado à esposa Eliete Sabará, ao telefone, por volta das 20h30 da noite de quarta-feira (25). Foi a última vez que os dois conversaram.

Franklin visitava clientes em um dos prédios que desabou ontem no centro do Rio de Janeiro. Três prédios, sendo um com 10 andares, outro com 18 pavimentos e um sobrado localizado entre os dois com quatro andares, vieram abaixo na Avenida Treze de Maio.

Segundo o cunhado de Franklin, o motorista Cesar Sabará, o nome do advogado ainda não consta da lista oficial de desaparecidos. Ele diz ainda que Eliete está dopada e não consegue falar ou mesmo ficar em pé porque depois do telefonema não conseguiu mais contato com o marido.

Colabore: Envie seu relato sobre os desabamentos dos prédios no centro do Rio

“As pessoas falam que a gente não pode perder as esperanças. Mas ao chegar aqui, me deparei com um cenário lamentável. O clima é pesado e a minha expectativa já está acabando”, afirmou Cesar Sabará.

A Defesa Civil já localizou três corpos nos escombros dos prédios.

    Leia tudo sobre: desabamentoprédiodesabamento de prédio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG