Mais uma vez, visita do pontífice ao Palácio da Cidade, em Botafogo, foi oportunidade para fiéis reforçarem a fé

A visita do papa Francisco ao Palácio da Cidade, no Rio de Janeiro, para a entrega das chaves pelo prefeito Eduardo Paes e bênção das bandeiras olímpicas e paraolímpicas movimentou toda a rua São Clemente, em Botafogo, zona sul da cidade. Apesar da chuva intensa, centenas de pessoas se espalharam ao longo da via na manhã desta quinta-feira (25) para esperar o pontífice passar e foram monitoradas por uma horda de policiais militares, guardas municipais e homens da Força Nacional. Por conta da chuva, o público foi menor que o esperado, mas quem esteve lá não arredou o pé.

No Palácio: Em tratamento contra câncer, Oscar Schmidt é abençoado

Em Manguinhos: "Sempre colocam mais água no feijão", diz papa

Especial: Saiba tudo sobre a Jornada Mundial da Juventude

Luis e Eliane comemoram visita do papa por dois motivos: aumento do movimento em restaurante e reforço da fé
Waleria de Carvalho
Luis e Eliane comemoram visita do papa por dois motivos: aumento do movimento em restaurante e reforço da fé

Os paraibanos Anderson Baggio, 17, Diego Turano, 25, e Luiz Carreira, 15, estavam desde as 7h à espera do papa. ''Vamos ficar aqui até o papa chegar. Viajamos muito tempo só para vê-lo. Não iremos sair daqui’’, disseram, sob chuva forte.

Os comerciantes Eliana e Luiz Alberto Carvalho, proprietários da padaria e restaurante Golden Bread, na Rua São Clemente, tinham motivo duplo para comemorar. Além de receberem peregrinos de todas as nacionalidades e aumentarem o faturamento também tiveram a honra de receber um aceno da santidade. ‘’Nossa, ele é uma pessoa extremamente simples. Nos passa uma mensagem de fé e esperança. Quando ele foi escolhido chorei de emoção’’, disse Eliana. Já o marido Luiz foi mais brincalhão: ‘’O Papa poderia vir aqui na rua todos os dias’’.

Artigo: Por que ir ver o papa?

A estudante matogrossense Camila Bicalho, de 24 anos, que veio do interior do Mato Grosso para sentir a emoção de se aproximar do papa, conseguiu ficar bem perto da entrada do Palácio e comemorou a passagem de Francisco: "Fiz aniversário ontem. O papa ter passado na minha frente e me dado um aceno foi o meu melhor presente. Poderia estar uma tempestade que eu estaria aqui. É muita emoção. Vou a todos os eventos, em Copacabana e Guaratiba’’.

Valdir Calejan levou o boneco Papito Chiquinho para evento no Palácio da Cidade
Waleria de Carvalho
Valdir Calejan levou o boneco Papito Chiquinho para evento no Palácio da Cidade

A criatividade do povo brasileiro foi representada pelo paulistano Valdir Calejan, que resolveu levar um boneco intitulado Papito Chiquinho para o evento na zona sul do Rio. Com o boneco e uma bandeira com a imagem do papa, berrou por toda a via o nome de Francisco e que ele seria o salvador. Valdir diz que está no Rio de Janeiro para saudar o papa e se unir às intenções dele, que são a de espalhar humildade, paz e amor pelo mundo. “Para mim é como se ele escrevesse a certeza da paz em mármore e o ódio nas areias’’.

As irmãs Irene, Rosimery e Lucilene também creditavam ao papa Francisco o resgate da fé das pessoas. “Ele mostra que a igreja católica está viva. Ela não está morrendo. O papa mostra para o jovem um horizonte’’.

Veja fotos do quarto dia da visita do papa:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.