Estou sendo ameaçado, diz homem que revelou estupro de jovem

O conselheiro tutelar Benilson Silva descobriu que uma adolescente de 14 anos era abusada em um presídio do Pará

Wilson Lima, iG Maranhão |

Após resgatar a adolescente de 14 anos que foi estuprada por quatro dias dentro da Colônia Agrícola Heleno Fragoso, na cidade de Santa Izabel, a 50 quilômetros de Belém, o conselheiro tutelar Benilson Silva (35) afirmou nesta terça-feira que vem sendo ameaçado de morte por detentos. A denúncia foi formalizada pela tarde na Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe).

Leia também: "Acho que foram dez homens", diz jovem abusada no Pará

Desde segunda-feira, Silva vem recebendo ligações suspeitas de pessoas que se identificam como detentos de Heleno Fragoso. A prisão recebe presos que cumprem regime semiaberto. “Disseram que eu ia pagar muito caro pelo que fiz, que eu ia acabar em um cemitério. Pediram para eu abandonar o caso e deixar essa história”, declarou Silva. Foram três ligações de números confidenciais ontem entre 14h e 16h.

O conselheiro tutelar afirma que está com medo. Hoje, ele evita atender ligações de números confidenciais e, mesmo aqueles registrados em seu celular, ele atende com restrição. “Meu medo é que não somente eu como a menina também possam sofrer retaliações”, disse o conselheiro.

Na tarde de segunda-feira, o conselheiro mudou de endereço com os filhos e pediu ajuda da Assembleia Legislativa do Pará para solicitar proteção policial. “Esse caso teve muita gente envolvida e as consequências foram grandes. Meu medo é de me tornar uma vítima também destas pessoas que caíram”, afima o conselheiro. Após o caso, o superintendente do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), major Francisco Mota Bernardes, o diretor da Colônia Agrícola Heleno Fragoso em Santa Izabel, no Pará, André de Albuquerque Nunes, e mais 20 agentes penitenciários foram exonerados.

Benilson Silva foi o conselheiro tutelar que resgatou a adolescente e vem fazendo todo o acompanhamento psicológico da jovem. Ela está em um abrigo de Belém e não deve voltar para a família nesse primeiro momento, já que o conselho tutelar da capital paraense acredita que houve negligência dos familiares no episódio. A jovem estava fora de casa desde junho deste ano e a família queixou-se do desaparecimento da adolescente apenas após descobrir que ela tinha sido estuprada por detentos.

AE
Menor teria sido abusada durante de quatro dias dentro do complexo penal, no Pará. Na foto, adolescente é amaparada pela polícia na segunda (19)

    Leia tudo sobre: violência sexualabusomenorprisãopará

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG