O conselheiro tutelar Benilson Silva descobriu que uma adolescente de 14 anos era abusada em um presídio do Pará

Após resgatar a adolescente de 14 anos que foi estuprada por quatro dias dentro da Colônia Agrícola Heleno Fragoso, na cidade de Santa Izabel, a 50 quilômetros de Belém, o conselheiro tutelar Benilson Silva (35) afirmou nesta terça-feira que vem sendo ameaçado de morte por detentos. A denúncia foi formalizada pela tarde na Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe).

Leia também: "Acho que foram dez homens", diz jovem abusada no Pará

Desde segunda-feira, Silva vem recebendo ligações suspeitas de pessoas que se identificam como detentos de Heleno Fragoso. A prisão recebe presos que cumprem regime semiaberto. “Disseram que eu ia pagar muito caro pelo que fiz, que eu ia acabar em um cemitério. Pediram para eu abandonar o caso e deixar essa história”, declarou Silva. Foram três ligações de números confidenciais ontem entre 14h e 16h.

O conselheiro tutelar afirma que está com medo. Hoje, ele evita atender ligações de números confidenciais e, mesmo aqueles registrados em seu celular, ele atende com restrição. “Meu medo é que não somente eu como a menina também possam sofrer retaliações”, disse o conselheiro.

Na tarde de segunda-feira, o conselheiro mudou de endereço com os filhos e pediu ajuda da Assembleia Legislativa do Pará para solicitar proteção policial. “Esse caso teve muita gente envolvida e as consequências foram grandes. Meu medo é de me tornar uma vítima também destas pessoas que caíram”, afima o conselheiro. Após o caso, o superintendente do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), major Francisco Mota Bernardes, o diretor da Colônia Agrícola Heleno Fragoso em Santa Izabel, no Pará, André de Albuquerque Nunes, e mais 20 agentes penitenciários foram exonerados.

Benilson Silva foi o conselheiro tutelar que resgatou a adolescente e vem fazendo todo o acompanhamento psicológico da jovem. Ela está em um abrigo de Belém e não deve voltar para a família nesse primeiro momento, já que o conselho tutelar da capital paraense acredita que houve negligência dos familiares no episódio. A jovem estava fora de casa desde junho deste ano e a família queixou-se do desaparecimento da adolescente apenas após descobrir que ela tinha sido estuprada por detentos.

Menor teria sido abusada durante de quatro dias dentro do complexo penal, no Pará. Na foto, adolescente é amaparada pela polícia na segunda (19)
AE
Menor teria sido abusada durante de quatro dias dentro do complexo penal, no Pará. Na foto, adolescente é amaparada pela polícia na segunda (19)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.