'Não tem lógica o que fizeram', diz pai de menina morta no Maranhão após enterro

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Além da menina morta, a mãe e a irmã dela também foram queimadas e estão internadas em um hospital de São Luís

Agência Estado

O corpo da menina Ana Clara de Sousa, de 6 anos, morta após ataque a ônibus em São Luís, foi enterrado nesta terça-feira (07) sob clima de revolta no Cemitério Jardim da Paz, em São José de Ribamar (MA). "Acabei de enterrar minha filha e é uma dor muito grande", disse Wenderson de Sousa, pai da menina queimada com a mãe e uma irmã de 1 ano num ônibus. "Não tem lógica. Aonde vai a crueldade do ser humano?"

Conheça a nova home do Último Segundo

Agência Brasil
Ônibus incendiado por criminosos na última sexta-feira, em São Luís

Centenas de pessoas acompanharam o velório da criança, que teve 95% do corpo queimado. A mãe de Ana Clara, Juliane Carvalho Santos, de 22 anos, e a irmã Lorane Beatriz Santos continuam internadas.

Política: Contra intervenção, Roseana tensiona relação com o Judiciário

O enterro atraiu moradores de toda a região de São Luís, que vive uma onda de violência desde o início do mês, quando criminosos presos ordenaram ataques à polícia e ao transporte coletivo. "O Maranhão precisa de intervenção federal já", disse a doméstica Luciana Pereira, 55, que ficou comovida com o caso e foi ao enterro de Ana Clara.


Leia tudo sobre: maranhãoataquesmenina mortasão luísônibus incendiado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas