Aeroviários entram em greve em aeroportos do País

Funcionários de São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Salvador, Brasília e Belo Horizonte não aceitaram reajuste salarial de 6,5%

iG São Paulo |

Os aeroviários (trabalhadores das empresas aéreas que atuam em solo) de seis capitais deram início a uma greve nesta quinta-feira, segundo o diretor do Sindicato dos Aeroviários do Estado de São Paulo, Rogério dos Santos. Funcionários do Rio de Janeiro, Fortaleza, Salvador, Brasília e Belo Horizonte também pararam de trabalhar.

Entenda a greve: Impasse entre aeroviários e aeronautas mantém risco de greve

A proposta de reajuste salarial oferecida pelo Sindicato Nacional de Empresas Aeroviárias é de 6,5%, mas os funcionários pedem aumento de 10%. Segundo Rogério, um aumento de 7% seria suficiente para acabar com a greve, que não tem previsão de término. Em São Paulo, uma assembleia será realizada para decidir a continuidade da paralisação.

Atrasos

Até as 22h desta quinta-feira (22), 677 voos tiveram atrasos e 118 (4,4%) foram cancelados. Os voos atrasados representam 25% do total de 2.706 voos programados. Nesse momento, 76 voos estão atrasados. Segundo a Infraero, o índice de atrasos é inferior ao registrado na última quinta-feira antes do Natal de dezembro de 2010 , quando 38,01% das 2.031 partidas programadas atrasaram mais de 30 minutos.

Multas

Nesta quinta-feira, o Procon de São Paulo autuou as empresas TAM e Gol por não fornecerem todas as informações necessárias aos passageiros durante a greve no aeroporto de Congonhas. As empresas terão 15 dias para se defender nos processos administrativos, que poderão resultar em multa de R$ 400 a R$ 6 milhões.

    Leia tudo sobre: aeroviáriosaeronautasgreveacordoempresas aéreas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG