Levantamento aponta que 42% das mulheres com 16 anos ou mais já foram vítimas de assédio; casos são mais comuns na rua e no transporte público

Números de casos de assédio sexual variam de acordo com fatores como idade, cor da pele e escolaridade
Mariela Guimarães
Números de casos de assédio sexual variam de acordo com fatores como idade, cor da pele e escolaridade

Os casos de assédio sexual atingem 42% das mulheres no Brasil, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha e divulgada neste sábado (23) pelo jornal Folha de S.Paulo. O levantamento, realizado em novembro com 1.427 brasileiras com 16 anos ou mais, aponta que quase um terço (29%) das mulheres foram assediadas na rua. Em seguida, estão os casos ocorridos no transporte público (22%), no trabalho (15%), na escola ou na faculdade (10%) e na própria casa (6%).

Leia também: Mulher é agredida por agente de segurança do Metrô em São Paulo

Os números variam segundo fatores como idade, cor da pele, escolaridade e renda familiar. De acordo com a pesquisa, 56% das mulheres entre 16 e 24 anos já foram vítimas de assédio sexual . No grupo de mulheres de 25 a 34 anos, o índice é de 50%. Entre 35 e 44 anos, os casos atingem 45% das brasileiras. Os números caem para 34%, para mulheres entre 45 e 59 anos, e para 24%, para as mulheres com 60 anos ou mais.

Leia também: 'Foi sem querer', diz vereador que postou vídeo se masturbando em escola pública

No recorte por cor da pela, 49% das orientais sofretam algum caso de assédio. Em seguida, estão pretas (46%), pardas (45%), brancas (40%) e indígenas (34%). Ainda segundo o levantamento, os casos são mais frequentes entre as mulheres mais escolarizadas. Entre aquelas que possuem o ensino superior, 57% foram vítimas de algum caso de assédio. O número cai para 47%, entre as mulheres com ensino médio, e para 26%, entre as mulheres com ensino fundamental.

Quando a renda familiar é levada em consideração, as mais ricas são as principais vítimas de assédio. Cerca de 58% das mulheres com renda familiar acima de 58% foram vítimas em algum momento. Entre as mulheres com renda familiar de até 2 salários, o ínidce cai para 38%. No entanto, se o recorte é feito somente para casos de assédio em casa, esse grupo é justamente o mais atingido. Cerca de 7% das mulheres com a menor faixa salarial já foram assediadas no ambiente doméstico.

Leia também: José Dirceu vai receber aposentadoria de quase R$ 10 mil como ex-deputado

A pesquisa aponta, ainda, que os casos de assédio sexual são mais frequentes entre brasileiras que moram na região Centro-Oeste (50%). Em seguida, estão as regiões Sudeste (49%), Norte (40%), Sul (37%) e Nordeste (34%). Os casos são mais frequentes em cidades com mais de 500 mil habitantes, onde 57% das mulheres já foram assediadas. O levantamento tem margem de erro de 2 pontos percentuais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.