Um policial militar foi morto na manhã desta sexta, após ser baleado em um confronto com bandidos; investigações procuram relação entre as mortes

Polícia Civil garante que a participação da Core no caso foi apenas para garantir a investigação sobre os corpos encontrados
Agência Brasil
Polícia Civil garante que a participação da Core no caso foi apenas para garantir a investigação sobre os corpos encontrados

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil abriu um inquérito para apurar as causas da morte de sete pessoas que tiveram os corpos encontrados, neste sábado (11), no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro .

Leia também: Tiroteio na praia de São Conrado, no Rio de Janeiro, deixa três feridos

Segundo as primeiras informações, os corpos encontrados durante a madrugada são resultado de um tiroteio. A ação, de acordo com o jornal Extra , teria sido realizada pela Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

No entanto, a Polícia Civil garante que a participação da Core no caso foi apenas para garantir o trabalho da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí na realização da perícia.

Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal da região. Não foram divulgadas informações sobre a identificação das vítimas.

PM assassinado na mesma comunidade

Ainda segundo o jornal Extra , veículo do Rio de Janeiro, um policial militar do 7º Batalhão da Polícia Militar (São Gonçalo) foi morto na manhã desta sexta-feira (11), depois de ser baleado em um confronto com bandidos.

Leia também: Rio de Janeiro tem três tiroteios e enterro do 108º policial morto no ano

A bala acertou o pescoço do policial e o tiroteio ocorreu na comunidade do Brejal, também em São Gonçalo.

Outro agente ficou ferido na troca de tiros, que também deixou um suspeito morto.

O soldado, identificado como Joubert dos Santos de Lima, de 26 anos, é o 117º policial morto no estado do Rio de Janeiro só neste ano.

Ele chegou a ser levado ao Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, mas não resistiu aos ferimentos.

Também nesta sexta, uma operação da Polícia Federal também foi deflagrada no Rio de Janeiro. A intenção da ação da PF foi desarticular uma organização criminosa especializada em desviar produtos químicos para o tráfico de drogas. 

As investigações estão em andamento. Por enquanto, porém, não se sabe se os corpos encontrados neste sábado têm alguma relação com a morte do policial militar assassinado nesta sexta-feira. 

Leia também: Comandante de batalhão da PM do Rio morre vítima de atentado

* Com informações da Agência Braisl.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.