Tiroteio em escola deixa dois alunos mortos e ao menos quatro feridos em Goiânia

Estudante de 14 anos disparou contra colegas de sala; moradores dizem que autor do ataque – que foi detido – é filho de major da PM e sofria bullying
Foto: Reprodução/Twitter
Colégio Goyases, em Goiânia, foi palco de ataque a tiros nesta sexta-feira (20)

Dois alunos morreram durante tiroteio ocorrido no fim da manhã desta sexta-feira (20) dentro do Colégio Goyases, localizado no Conjunto Rivieira, na região leste de Goiânia (GO). As informações foram confirmadas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O autor do ataque a tiros é um jovem de 14 anos de idade e estudante do oitavo ano do ensino fundamental na escola. Ele foi detido e encaminhado à delegacia. Em entrevista à uma emissora local de TV, um comandante da Polícia Militar informou que os alunos que acabaram mortos durante o tiroteio tinham 11 e 13 anos de idade.

Leia também: Em escola improvisada, alunos de creche em Janaúba voltam às aulas

Outros quatro estudantes foram baleados e encaminhados a hospitais da região, de acordo com informações atualizadas pela Polícia Militar de Goiás por volta das 13h30 desta tarde. A ocorrência do tiroteio no colégio particular (que atende alunos dos ensinos infantil e fundamental) foi informada às 11h50 desta manhã ao serviço 193 por uma mulher que se identificou como professora da escola de Goiânia .

Policiais investigam a informação de que o autor do disparo sofria bullying por parte de outros estudantes da escola. Em grupos nas redes sociais, professores e moradores da região informam que o autor do jovem de 14 anos é filho de um major da Polícia Militar.

Ainda de acordo com relatos de moradores da região, o estudante levou uma arma para a sala de aula e disparou contra os colegas de forma aleatória. O ataque teria ocorrido logo após novo episódio de bullying nesta sexta-feira.

Leia também: Segurança responsável por incêndio em creche sofria de depressão e acabou morto

Segundo os moradores, o estudante era chamado de "fedido" e "fedorento" pelos colegas, que teriam, inclusive, levado um desodorante para o aluno como modo de caçoar do jovem. Esse teria sido o estopim para o início do ataque a tiros. O aluno que levou o desodorante é um dos que acabaram morrendo no tiroteio.

Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Crianças de escola particular em Goiânia (GO) são vítimas de tiroteio nesta sexta-feira

Pelo Facebook, a professora do colégio Goyases Thais Barbosa relatou que o seu primo, um estudante chamado Yago, foi atingido por um disparo nas costas. A professora contou também que ao menos duas meninas estão em estado grave. A informação ainda não foi confirmada pelos serviços de atendimento hospitalar de Goiânia.

Em entrevista à TV Globo , o tenente-coronel da PM de Goiás, Marcelo Granja, informou que será iniciada uma investigação para apurar como o aluno teve acesso à arma e como conseguiu entrar com o equipamento na escola.

Leia também: Temer pede a ministros que auxiliem os afetados pelo ataque à creche em Janaúba

Socorro às vítimas

Equipes do Corpo de Bombeiros e do Samu de Goiânia foram acionadas para atender as vítimas. Um dos feridos foi socorrido pelo Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) da Polícia Militar e levados para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Outros três, segundo a corporação, foram levados a unidades de saúde por terceiros. O autor dos disparos foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) para realizar exame de corpo de delito e, em seguida, será encaminhado à delegacia.

* Mais informações em instantes.

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2017-10-20/goiania-criancas-tiroteio.html