Tamanho do texto

Trocas de tiros ocorridos no Jacarezinho nos últimos nove dias já deixaram sete mortos; conflitos começaram após morte de policial no último dia 11

Uma mulher com ferimento a bala produzido durante confronto armado na comunidade do Jacarezinho , na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro, segue internada no Hospital Salgado Filho. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, o estado de saúde da vítima é estável. Ela foi a quinta vítima do conflito ocorrido neste sábado (19), que marcou o nono dia seguido de troca de tiros na região.

Leia também: Jacob Barata Filho e ex-presidente da Fetranspor deixam cadeia no Rio

O confronto entre policiais do Rio  e criminosos neste sábado ainda deixou duas vítimas fatais. Um homem já chegou morto na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Manguinhos, a mais próxima do Jacarezinho, e outra mulher morreu durante o socorro. A unidade também prestou atendimentos a um homem e a uma mulher que tiveram ferimentos leves e foram liberados em seguida.

Moradores socorrem homem vítima de confronto entre policiais e criminosos na Zona Norte do Rio de Janeiro
Reprodução
Moradores socorrem homem vítima de confronto entre policiais e criminosos na Zona Norte do Rio de Janeiro

Leia também: PF indicia ex-governadores do DF e mais 19 por fraude em obra de estádio

Os conflitos no Jacarezinho começaram após o policial Bruno Guimarães Buhler, de 36 anos, morrer com um tiro no pescoço durante uma operação realizada no dia 11 de agosto. De lá para cá, a Polícia Civil  realiza uma série de incursões na comunidade para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão contra traficantes de drogas que atuam na região e para prender os criminosos que mataram o policial. 

Com as vítimas fatais deste sábado, chega a sete o número de moradores mortos por conta dos confrontos. Outras sete pessoas ficaram feridas. A última morte havia sido registrada na terça-feira (15), quando um homem foi atingido por uma bala perdida. No mesmo dia, uma mulher foi ferida no rosto e um veículo da Polícia Civil foi incendiado por criminosos durante uma operação.

Leia também: Recebeu o benefício? Governo federal zera a fila de candidatos ao Bolsa Família

De acordo com informações da coordenadoria da Polícia Pacificadora, as bases da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) em Jacarezinho e Manguinhos, inauguradas pelo governo do estado do Rio em janeiro de 2013, seguem funcionando sem reforço policial e não houve confronto envolvendo o efetivo de policiais militares na noite deste sábado ou na madrugada de domingo. As operações realizadas na comunidade estão sendo feitas somente por agentes da Polícia Civil.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.