Por volta das 8h desta sexta-feira, o Rio de Janeiro registrava 50 quilômetros de lentidão por conta de protestos em suas principais vias; acompanhe

Manifestações provocaram vários bloqueios de vias no Rio de Janeiro
Reprodução/Twitter
Manifestações provocaram vários bloqueios de vias no Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro continua lindo, mas, hoje, parado. Isso porque, manifestações contra as reformas trabalhistas e da Previdência – convocadas para esta sexta-feira (30), como parte de uma greve geral organizadas por centrais sindicais – provocaram uma série de bloqueios por toda a cidade.

Leia também: Greve Geral: veja quais serviços de SP vão aderir à paralisação nesta sexta

Ao todo, por volta das 8h desta sexta, o Rio de Janeiro registrava 50 quilômetros de lentidão por conta das manifestações. Às 6h20, a cidade entrou em estágio de atenção.

O estágio de atenção é um nível intermediário em uma escala de três - o de vigilância denota normalidade no trânsito da cidade e o de alerta mostra que há problemas mais graves. O estágio de atenção significa que há reflexos relevantes na mobilidade.

Às 7h35, haviam interdições na Avenida Brasil, na pista central, no sentido centro, na altura da Penha; na Avenida 20 de Janeiro, que dá acesso ao Aeroporto Internacional Galeão/Tom Jobim e na Rua Leopoldo Bulhões, na altura dos Correios.

Leia também: Em manifestação, estudantes cobram adoção de sistema de cotas na USP

Por causa da manifestação nas proximidades do Galeão, o BRT (corredor exclusivo de ônibus) Transcarioca opera com intervalos irregulares.

Quem aderiu à greve

O Sindicato dos Bancários informou que os trabalhadores da cidade estão aderindo à greve geral desta sexta-feira. A expectativa do sindicato, que representa a categoria, é de que as agências bancárias, além dos cinco centros administrativos dos bancos, não funcionem nesta sexta.

Além disso, a greve atinge também a área da educação. A Secretaria de Estado de Educação informou que as unidades escolares funcionarão normalmente. Em contraponto, o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) diz que os professores aderiram à greve.

O transporte público, no entanto, funciona normalmente em toda a cidade.

Assim como no Rio de Janeiro, outras cidades como São Paulo e Brasília sofrem como uma série de manifestações. A greve geral, no entanto, não ganhou a mesma adesão que em outras oportunidades na capital paulista. 

Leia também: Mais de 150 mil foram a ato pelas 'Diretas Já' no Rio, dizem organizadores

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.