Tamanho do texto

Assalto, considerado o maior da história do país, está sendo atribuído ao PCC; seis fuzis, munições, dois barcos e sete veículos foram apreendidos

Um policial foi morto e quatro pessoas ficaram feridas durante o assalto à transportadora Prosegur no Paraguai
Reprodução/Imneuquen
Um policial foi morto e quatro pessoas ficaram feridas durante o assalto à transportadora Prosegur no Paraguai

Por enquanto, oito pessoas foram presas no Paraná por suspeitas de participar do assalto milionário à sede da empresa de transportes de valores Prosegur, em Ciudad del Este. O crime chocou o Paraguai nesta segunda-feira (24), sendo considerado o maior roubo já ocorrido no país .

De acordo com informações divulgadas nesta terça-feira (25) pela Polícia Federal, além das prisões, as buscas na região de Foz do Iguaçu – cidade paranaense que faz fronteira com o Paraguai – resultaram na apreensão de seis fuzis, munições, dois barcos e sete veículos.

Crime cinematográfico

Na madrugada desta segunda, um grupo de cerca de 50 pessoas assaltou a sede da empresa na tríplice fronteira com o Brasil (Foz do Iguaçu) e a Argentina (Puerto Iguazú), para roubar cerca de US$ 40 milhões (cerca de R$ 120 milhões). O dinheiro estava guardado em um cofre, que foi aberto com uso de explosivos e fuzis antiaéreos.

O assalto, considerado por enquanto como o maior da história do Paraguai, está sendo atribuído ao PCC, organização criminosa que atua no Brasil e domina vários presídios no País.

Leia também: PF e polícia do Paraguai fazem operação contra tráfico internacional de drogas

Segundo a imprensa paraguaia, o grupo invadiu a sede da transportadora – que fica a 4 quilômetros da Ponte Internacional da Amizade, no oeste do Paraná – e fugiu em direção à cidade vizinha, Hernandárias. O assalto aconteceu por volta das 1h30 desta segunda, no horário local (2h30 no horário de Brasília).

Um policial morreu na tentativa de capturar os assaltantes e outras quatro pessoas ficaram feridas. A Polícia Federal também confirmou que três suspeitos morreram durante confrontos com as forças de segurança no município paraguaio. 

Em entrevista concedida à radio ABC Cardinal na manhã desta segunda, o ministro do Interior do Paraguai, Lorenzo Lezcano, afirmou que os criminosos eram brasileiros. De acordo ele, a maioria dos carros usada no assalto tinham placa do Brasil, e uma vítima relatou que ouviu eles falando em português.

Leia também: "Rei da Fronteira", traficante é morto em emboscada no Paraguai

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.