Mensagens divulgadas nas redes sociais apontam "prós e contras" sobre a administração tucana nos primeiros 30 dias à frente da prefeitura. O iG apurou e conta detalhes sobre os tópicos compartilhados na internet; confira

João Doria completa 30 dias à frente da Prefeitura de São Paulo nesta terça-feira. Confira
Rovena Rosa/Agência Brasil - 10.1.2017
João Doria completa 30 dias à frente da Prefeitura de São Paulo nesta terça-feira. Confira "balanço da gestão"

Após um mês no cargo, o prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), já realizou uma série de ações aplaudidas na cidade de São Paulo, como também já conquistou alguns desafetos. Isso porque o tucano – que tomou posse logo após a gestão do petista Fernando Haddad – definitivamente não está seguindo os passos do prefeito anterior, o que incomoda a oposição.

LEIA MAIS: Em menos de 2 semanas, Doria mudou o jeito de governar São Paulo. Para melhor

Prova disso é um texto que está sendo divulgado pelas redes sociais, que busca apontar os pontos positivos e negativos da gestão Doria , durante os primeiros 26 dias de governo –completos 30 nesta terça-feira (31). Contudo, o conteúdo, que é altamente parcial, tem como foco a crítica à gestão tucana.

O texto, segundo apuração do iG , conta com informações verdadeiras, falsas e outras ainda incertas sobre as medidas tomadas pelo prefeito tucano. Confira trechos da mensagem compartilhada nas redes sociais e as informações oficiais apuradas pela reportagem.

Programa Corujão Saúde

Prós: mais de 70 mil exames atendidos pelos melhores hospitais particulares da cidade. (VERDADE)
Contras: não há publicação do custo e como será a desoneração destas empresas contratadas. (VERDADE)

O iG entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde que não confirmou o número de exames realizados até agora. Todavia, a agenda oficial do prefeito João Doria desta terça-feira (31) inclui um evento às 17h, junto do secretário de saúde Wilson Pollara e do secretário da comunicação Fábio Santos, para a comemoração dos 100 mil atendimentos no programa.

O programa “Corujão da Saúde” teve início no dia 10 de janeiro e prometeu acabar com a fila de espera da rede pública para exames médicos na cidade de São Paulo.  

Segundo informações do site da Prefeitura de São Paulo, havia uma fila de 485,3 mil exames a serem realizados no começo deste ano, dos quais 243,5 mil foram marcados pelas unidades de saúde municipais, em 675 locais, logo na primeira semana de gestão. Com uma média de 360,7 agendamentos por unidade, portanto, houve uma queda de 49,8% dos procedimentos em espera.

A Prefeitura confirma ainda que, do total de exames, 137,1 mil (ou seja, 53%) foram agendados para este mês de janeiro. Vale lembrar que estes são os “marcados” e, não, realizados, necessariamente.

Além das unidades municipais, pelo menos 20 hospitais privados estão participando do programa – que fecharam parceria com a Secretaria de Saúde da capital na realização de pelo menos 61,6 mil exames.

No último dia 6, a secretaria publicou no Diário Oficial do Município um chamamento público universal para que mais hospitais e laboratórios privados aderissem ao “Corujão”. “Sentimos que as instituições estão entusiasmadas e querem participar desta grande ação para acabar com a fila de espera por exames na rede pública municipal”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Wilson Pollara, em nota.

Carros da prefeitura x táxi e Uber

Prós: cortou o aluguel de vários carros, economizou 10 milhões por mês dos cofres públicos. (VERDADE)
Contras: política de governo e corte de gasto corrente não muda em nada o custo da gestão. ( VERDADE)

Logo no início da gestão, no dia 3 de janeiro, João Doria (PSDB) anunciou que faria uma série de cortes em gastos do município para este ano de 2017. Entre as medidas, afirmou que a prefeitura iria se desfazer de sua frota de 1.300 veículos, que seriam leiloados ou devolvidos a locadoras, à exceção daqueles fundamentais como os da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), ambulâncias e funerários.

Dessa maneira, foi imposto o uso de táxi ou Uber para os funcionários (incluindo secretários) e ele próprio afirmou que usaria seu carro para trabalhar. O prefeito justificou que haveria “uma economia substantiva de quase R$ 120 milhões por ano, contando o custo dos veículos, combustível, seguro, pneus, mecânica, motoristas, custos de estacionamento”. Caso este número realmente seja economizado, o valor seria de R$ 10 milhões por mês. 

Contudo, é correto dizer que, se os carros eram utilizados, vender ou devolver acaba não reduzindo no custo final (ou de gestão, conforme diz a mensagem compartilhada), já que alguns “gastos” anteriormente existentes (como depreciação do carro, gasolina, IPVA etc) não possuem impacto imediato, somente futuro, não significando, portanto, uma economia real, mas prevista.

Também é necessário verificar os custos que envolvem o uso de transportes privados para a locomoção de secretários e demais funcionários. Além disso, variáveis como a periodicidade em que o táxi e o Uber serão usados – assim com as distâncias percorridas pelos servidores – podem fazer com que os gastos com transporte cresçam mensalmente, impactando assim o valor anual disponibilizado aos servidores da prefeitura para se locomoverem. 

Ponte Estaiada iluminada e limpa

Prós: limpou a Ponte Estaiada e reelocou iluminação nova. (VERDADE)
Contras: não existem dados na controladoria geral do município sobre a parceria, não há edital, não houve licitação. (MENTIRA)

Ponte Estaiada antes da ação de limpeza realizada pela gestão de João Doria, em janeiro de 2017
Divulgação/Prefeitura de São Paulo
Ponte Estaiada antes da ação de limpeza realizada pela gestão de João Doria, em janeiro de 2017

É verdade que a prefeitura limpou a Ponte Octavio Frias de Oliveira (Ponte Estaiada), que fica na zona sul da cidade, no dia 5 de janeiro, colocando um novo sistema de iluminação no local. Segundo a prefeitura, o intuito foi “garantir a segurança e recuperar a autoestima dos paulistanos”.

Para o serviço, ainda de acordo com a prefeitura, foram contratados nove alpinistas profissionais e treinados. Foi realizado o cabeamento de iluminação da ponte, sendo instalados 114 projetores de LED. Por telefone, a assessoria de imprensa afirmou  ao iG que foi a Phillips Lighting Brasil que arcou com os custos da iluminação e novos equipamentos. Já em relação à limpeza realizada na ponte, teria sido financiada por um grupo de empresários chamado “Conexão Berrini”. Desse modo, a prefeitura nega ter tido custos.

Ponte Estaiada depois de limpeza patrocinada por grupo de empresários
Divulgação/Prefeitura de São Paulo
Ponte Estaiada depois de limpeza patrocinada por grupo de empresários "Conexão Berrini"

Ao iG , a assessoria ainda afirmou que esta não foi a primeira vez que a Phillips pagou pela iluminação do “cartão postal de São Paulo”, tendo sido responsável pelo financiamento logo na inauguração da ponte.

Em relação à inexistência de dados de licitação, edital e dados na Controladoria, não existem porque foi um projeto pago pela iniciativa privada. O que existe são termos de doação que foram publicados no Diário Oficial da Cidade de São Paulo e podem ser acessados publicamente . Também foi publicada a retificação da publicação do dia 12 de janeiro, que pode ser acessada publicamente no Diário Oficial da União.

Tarifas de ônibus x tarifas intermunicipais 

Prós: manteve a passagem de ônibus a R$ 3,80, enquanto várias cidades já subiram pra (sic) mais de R$ 4,20. (VERDADE)
Contras: criou a tarifa de R$ 1 para baldeação, o que além de ilegal aumenta o custo para o consumidor final. (VERDADE)

Logo antes de assumir mandato, João Doria já havia declarado não faria ajuste de tarifa para ônibus municipais em 2017. Na época, o prefeito justificou o congelamento dos preços devido a “crise econômica que afeta a população”. Contudo, houve o anúncio do aumento de R$ 1 na transferência entre ônibus e trólebus no terminal São Mateus, na zona leste da cidade, no dia 3 de janeiro.

João Doria declarou, mesmo antes de tomar posse, que não faria ajuste de tarifa para ônibus municipais em 2017
LUIZ GUARNIERI / AE
João Doria declarou, mesmo antes de tomar posse, que não faria ajuste de tarifa para ônibus municipais em 2017

Ademais, apesar de a tarifa básica ter sido mantida, as de integração com o Metrô ou os trens da CPTM – ambos de responsabilidade do governo estadual – sofreram aumento  de 14,8%, mais que o dobro da inflação de 6,54%.

Contudo, depois do anúncio do aumento, a Justiça paulista acabou suspendendo, no dia 11 de janeiro, os reajustes nas tarifas  de todas as linhas da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) no Estado de São Paulo, considerando-os “abusivos e indevidos”.

Cidade Linda e máfias da limpeza

Prós: Cidade Linda, revitalizou algumas partes do centro, com limpeza de "boca de lobo", pinturas novas, limpeza em geral. (VERDADE)
Contras: não revisou os contratos com as "máfias da limpeza". (INCERTO)

O programa “Cidade Linda” foi criado pela gestão tucana com o objetivo de “revitalizar áreas degradadas da cidade”, sendo lançado na manhã do dia 2 de janeiro.

Na imagem, muro da Avenida 23 de Maio antes de revitalização realizada no programa
Divulgação/Prefeitura de São Paulo
Na imagem, muro da Avenida 23 de Maio antes de revitalização realizada no programa "Cidade Linda"

A ação inclui, entre outras coisas, a manutenção e conservação de logradouros, galerias, pavimentos, limpeza de monumentos; a recuperação de praças e canteiros; a poda de árvores; a troca de lixeiras; a manutenção da iluminação pública; o reparo de sinalização de trânsito; o reparo nas calçadas; e a polêmica limpeza de pichações.

O programa Cidade Linda foi criado pela gestão tucana com o objetivo de “revitalizar áreas degradadas da cidade”
Divulgação/Prefeitura de São Paulo
O programa Cidade Linda foi criado pela gestão tucana com o objetivo de “revitalizar áreas degradadas da cidade”

Segundo a prefeitura, os trabalhos serão realizados de forma periódica. A agenda da “Cidade Linda” inclui, para as próximas semanas, a Avenida Mateo Bei (nos dias 4 e 5), Avenida Ipiranga e Avenida São Luis (nos dias 11 e 12), Centro Histórico (Praça da Sé, Líbero Badaró e Pateo do Colégio, nos dias 18 e 19) e Avenida Cruzeiro do Sul (nos dias 25 e 26).

Para o gerenciamento destas ações está a Secretaria de Prefeituras Regionais, contando com o apoio das pastas de Desenvolvimento Social, Serviços e Obras, Transportes e Mobilidade, Segurança Urbana e Verde e Meio Ambiente. Além disso, há a participação de doações de empresas privadas em algumas iniciativas.

Sobre a suposta “máfia da limpeza”, o iG não encontrou informações, não havendo referências a tal “problema” de forma oficial.

Empresa Solidária e transparência

Prós: conseguiu quase 100% das benfeitorias através de doação regular (Empresa Solidária). (INCERTO)
Contras: colocou a transparência e o acesso a informação sob a égide da Secretaria de Comunicação atrasando todo o avanço conseguido pela gestão anterior quanto a gestão democrática. (MENTIRA)

O iG entrou em contato com a prefeitura para que tivesse acesso às informações detalhadas sobre as “empresas solidárias”, mas não teve retorno sobre isto até a publicação desta reportagem. 

Porém, a parceria entre a prefeitura e algumas empresas existe e o próprio João Doria afirma que algumas ações realizadas até agora por sua gestão – como a iluminação e limpeza da Ponte Estaiada, e as doações de carros e motocicletas ao programa “Marginal Segura” –, foram 100% financiadas por empresas privadas que, “por cidadania”, segundo ele, investem nas obras municipais.

Inclusive, o prefeito já falou à imprensa sobre um acordo fechado com uma empresa (cujo nome não foi revelado ainda) para a iluminação da área externa do Edifício Matarazzo, sede da prefeitura da cidade. Ademais, a assessoria afirma que existem termos de doações, mas o iG não conseguiu o acesso a eles até a publicação da reportagem.

Já sobre o boato de “a transparência e o acesso à informação estarem sob a égide da secretaria de comunicação atrasando todo o avanço conseguido pela gestão anterior quanto a gestão democrática”, o iG conseguiu apurar de que é mentiroso.

A Transparência continua funcionando na Coordenadoria de Promoção da Integridade até o momento. Ela está na COPI, na divisão de Transparência Ativa. Existe, inclusive, uma lei que define isto, que é a lei 15.764.

Patrocínio de consulados e gasto com publicidade

Prós: conseguiu projeto de revitalização de regiões de imigrantes sob patrocínio dos consulados dos países de origem. (INCERTO)
Contras: aumentou o gasto com publicidade e só envolve empresas que tenham relacionamento com a LIDE. (MENTIRA)

O iG foi atrás da informação oficial de que “consulados estariam em contato com a prefeitura” para a revitalização de algumas regiões da cidade caracterizadas pela presença de imigrantes. Não há confirmações sobre isso. Porém, existe uma reportagem no site da revista Veja  que aponta algumas empresas privadas relacionadas que “estariam em contato” com a gestão do tucano para a revitalização de algumas áreas da cidade, como o Largo do Arouche e da Rua José Higino.

Entre estas empresas, estavam a AccorHotels, a Samsung, a Hyundai e a LG do Brasil.

O iG entrou em contato com as assessorias das empresas via e-mail. A LG do Brasil disse “desconhecer o contato do prefeito de São Paulo”. Já a Samsung, afirmou ter realizado a “primeira reunião com a nova administração municipal” nesta segunda-feira (30), em que analisaria a “possibilidade de parcerias em benefício da cidade”. 

“Visamos criar coprosperidade em todos os mercados em que atuamos, por isso, investimos continuamente em educação, pois sabemos que essa é a melhor semente para todo tipo de inovação”, afirmou à reportagem o vice-presidente de Marketing e Assuntos Corporativos da Samsung América Latina, Mario Laffitte.

A Hyundai afirmou que "a participação de empresas coreanas em projetos de revitalização da cidade já foi abordada em conversas informais com a Prefeitura de São Paulo" e que "a Hyundai Motor Brasil aguarda, entretanto, comunicação oficial  e detalhamento dos projetos por parte da prefeitura para se posicionar sobre o assunto".

Por fim, a AccorHotels respondeu que “por uma questão de política global, a empresa não comenta assuntos referentes à política”. 

Sobre o suposto aumento dos custos com publicidade, os boatos afirmam ter ocorrido e que haveria a predileção às instituições ligadas a LIDE. Vale destacar que a prefeitura abriu licitação para a contratação de duas agências de publicidade pelo período de doze meses, prorrogáveis nos termos da lei, no valor de R$ 100 milhões (em 2017).

Com tal verba reservada para a publicidade, é possível afirmar que o gasto será maior do que a gestão anterior, de Fernando Haddad (PT), que declarou o gasto de cerca de R$ 772 mil em 2016. Porém, esta verba é equivalente apenas ao primeiro semestre do ano.

Em outros anos anteriores, como em 2015, o gasto em publicidade total atingiu cerca de R$ 2 milhões .

Como a audiência pública e a abertura dos envelopes não foram divulgados, ainda estão à frente da publicidade as empresas Lua e nova/sb, responsáveis pelo planejamento de todo o processo de criação, inovação, pesquisa e desenvolvimento publicitário. Em vista desta informação, é incorreto afirmar que o tucano estaria “dando prioridade” às empresas ligadas ao LIDE.

O LIDE é uma organização de caráter privado, que funciona desde 2003, reunindo empresários em diversos países. Ela é formada por líderes de corporações nacionais e internacionais, com 26 frentes de atuação, e envolve, portanto, empresas de diversos setores.

Reforma no Ibira e a "cidade de Doria"

Prós: conseguiu reforma dos banheiros deteriorados do Parque Ibirapuera também de graça. (VERDADE)
Contras: desoneração e uma clara tendência a melhorar somente os parques e a cidade próxima de sua residência. (MENTIRA)

Doria irá fazer reforma em todos os banheiros do parque, segundo confirmou a administração do Ibirapuera
Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Doria irá fazer reforma em todos os banheiros do parque, segundo confirmou a administração do Ibirapuera

No texto compartilhado nas redes sociais, a autora fala sobre a reforma que vai acontecer nos banheiros do Parque Ibirapuera, afirmando que a obra será gratuita para a prefeitura. Porém, ela expõe que há "uma clara tendência a melhorar somente os parques e a cidade próxima de sua residência".

A administração do Parque Ibirapuera confirmou ao iG que todos os 16 banheiros serão reformados. A obra será feita pela construtora Cyrela Brazil Realty e a manutenção do parque contará com doações da Unilever, que doará produtos de limpeza para a prefeitura.

De acordo com o que o iG apurou, a parceria "não tem nenhuma contrapartida e se trata apenas de doações das empresas à prefeitura", ou seja, será uma reforma totalmente gratuita, conforme cita o texto.

No entanto, sobre a questão relacionada às melhorias na cidade, a prefeitura afirma que tem divulgado recentemente a revitalização da Praça Dom José Gaspar, na República, e do Parque Raposo Tavares, no Butantã, áreas distantes da região dos Jardins, onde mora o prefeito. Logo, não é apenas a "cidade próxima de sua residência" que está no radar de Doria.

Veículos doados à CET e relatório sobre as marginais

Prós: recebeu a doação de novos veículos para a CET e vai empregar parte deles na operação das marginais. (VERDADE)
Contras: apagou os dados sobre mortes e mentiu sobre o fato. (INCERTO)

É verdade afirmar que, também por meio de doações, a prefeitura de São Paulo recebeu, na semana passada, 28 novos veículos, que serão utilizados no apoio ao Programa Marginal Segura, responsável pela readequação das velocidades nas marginais Tietê e Pinheiros.

A prefeitura de São Paulo realmente recebeu a doação de novos veículos para a CET
Reprodução/Facebook
A prefeitura de São Paulo realmente recebeu a doação de novos veículos para a CET

A Mitsubishi doou 10 pick-ups modelo L200. A manutenção dos veículos também ficará por conta da montadora. A Fiat contribuiu com duas vans modelo Ducato, que funcionarão como bases móveis da CET nas duas marginais. A empresa também fará a manutenção de 150 veículos da marca que são de propriedade da CET. 

Além dos carros, a Honda doou 10 motos para a CET e outras 10 motos para a GCM (Guarda Civil Metropolitana). As motos são do modelo XRE 300 C. Das 20 doadas, apenas as 10 da CET vão atuar na Marginal Segura. Já a Yamaha fez a doação de outras seis motos Tenere 250. 

No entanto, sobre os dados a respeito das mortes nas marginais, não é possível confirmar que houve o "apagamento" deles. O que aconteceu foi que o gabinete da Secretaria de Comunicação "bateu a cabeça" com um relatório da CET na divulgação do números de mortes nas marginais.

De acordo com a equipe de Doria, as mortes e os acidentes aumentaram em 2016 em relação a 2015, período em que as velocidades nas vias eram mais baixas que as atuais. Em 2015, segundo as novas informações, 15 mortes em 823 acidentes com feridos aconteceram nas marginais. Em 2016, segundo a mesma fonte de informação, foram 28 mortes em 1.076 acidentes com vítimas.

Os números não batem com o relatório divulgado na gestão Haddad no ano passado, em que a CET registrou um total 46 acidentes com morte nas marginais em 2015, sendo 28 na Marginal Tietê e 18 na Pinheiros. No total, os acidentes provocaram a morte de 49 pessoas. Mais de três vezes o número de mortes divulgado pela gestão Doria.

Os números realmente não batem. No entanto, não é possível afirmar quem está mentindo. A prefeitura informa que o relatório completo sobre acidentes em 2016 será divulgado em abril deste ano e que não comenta os números já divulgados.

Albergues com parceria

Prós: conseguiu, mais uma vez, a recuperação e atualização dos albergues através de uma rede de hotéis. (VERDADE)
Contras: sempre teve ligações empresariais com o grupo Accor, e está copiando o "Braços Abertos" do Haddad mudando apenas o nome. (MENTIRA)

É verdade dizer que a parceria com uma rede de hotéis ajudará na recuperação e na atualização dos albergues, atualmente chamados de Centros de Acolhida. No entanto, a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) afirma que não se trata de uma cópia.

A gestão do novo prefeito da capital paulista tem focado também no cuidado com os moradores de rua
Reprodução/Facebook
A gestão do novo prefeito da capital paulista tem focado também no cuidado com os moradores de rua

Isso porque os centros serão reconfigurados e "transformados" em Espaço Vida, começando por grandes complexos (Prates, Zaki Narchi e Boraceia), cujas instalações terão "padrão de qualidade muito maior do que o atual" e que também "servirão como campo de preparação para o trabalho nas áreas de hotelaria e gastronomia".

Ou seja, não é uma cópia mudando apenas o nome. No máximo, é uma cópia "melhorada" do programa "Braços Abertos" de Fernando Haddad.

Incertas e a lei

Prós: dá "incertas" em setores de serviço municipal ao público TODOS (sic) os dias, registra problemas e aciona as providências do próprio local, via telefone. (MENTIRA)
Contras: isso não é trabalho de um prefeito, fiscalização é do legislativo. (MENTIRA)

O texto ressalta as visitas surpresa que o prefeito tem feito em diversos setores de serviço municipal, as chamadas "incertas".

João Doria tem realizado as chamadas
Reprodução/Facebook
João Doria tem realizado as chamadas "incertas", visitas surpresa, a diversos estabelecimentos públicos

De acordo com o texto conteúdo compartilhado nas redes sociais, Doria tem se deslocado "todos os dias" para realizar serviços de auditoria e fiscalização, o que seriam obrigações do Poder Legislativo municipal.

Nessa parte do texto, há duas afirmativas que não condizem com a realidade: em primeiro lugar, o tucano não tem se descolado com tal objetivo todos os dias desde que tomou posse.

Em segundo, o controle que ele está fazendo é administrativo, não externo. Ou seja, tal controle pode ser feito tanto pelo prefeito quanto por qualquer outro cidadão que tenha interesse em manter a qualidade dos serviços oferecidos pela prefeitura.

Ainda acordo com o artigo 31 Constituição Federal, "a fiscalização do município será exercida pelo Poder Legislativo Municipal, mediante controle externo, e pelos sistemas de controle interno do Poder Executivo Municipal, na forma da lei".

Logo, as visitas do prefeito podem ser muito mais frequentes que da gestão anterior, mas não são ilegais e não representam um desrespeito aos limites de sua posição como prefeito da cidade.

Propaganda paga x propaganda gratuita

Prós: presta contas à população todos os dias, através de mídias sociais ou seja, sem propaganda paga. (PARCIALMENTE VERDADE)
Contras: mentira, usa muito rádio e já criou mais de 30 slogans para cada ato de seu teatro do absurdo. (VERDADE)

Nas redes sociais, a prefeitura da cidade de São Paulo tem trabalhado intensamente na divulgação das ações tomadas durante a nova gestão. Desde a posse de Doria, foram feitas pelo menos uma publicação por dia no Facebook para divulgar as ações do novo prefeito paulistano.

Todos os passos do prefeito estão sendo divulgados sob as hashtags de campanha #AceleraSP e #JoaoTrabalhador.

No entanto, além das redes sociais, assim como diz o texto, estão sendo usados também outros canais como o rádio e a televisão.

Porém, com foco na internet, a gestão acaba economizando em propaganda paga – não que não se gaste – e se aproximando mais da população, por conta do retorno direto que as mídias sociais oferecem, em relação aos demais canais de mídia.

Produtos de higiene e o tráfico

Prós: conseguiu doação da Unilever DD sabonetes e outros itens de higiene para os albergues. (VERDADE)
Contras: traficantes de crack aceitam esses produtos como forma de pagamento. (INCERTO)

Por fim, o texto lembra da doação que a gestão do tucano recebeu da Unilever, em produtos de higiene pessoal para os albergues e para os moradores de rua, assim como para os banheiros do Ibirapuera. Essa afirmativa é verdadeira.

Com a doação, os moradores de rua da capital paulista estão sendo beneficiados com a distribuição de produtos de higiene, sem nenhum gasto aos cofres públicos. "A ideia da prefeitura é atuar tanto na dignidade humana e na saúde individual dos cidadãos, quanto na saúde pública", afirma a assessoria.

LEIA MAIS: Sindicato firma acordo com Doria e abre vagas de trabalho para moradores de rua

Porém, o uso que os moradores de rua darão a tais produtos de higiene será de sua total responsabilidade. Afinal, mesmo que esses artigos sejam usados no mercado do tráfico – como diversos produtos o são, aliás - não há confirmações oficiais sobre o uso indevido destes. Por fim, vale lembrar que a gestão Doria não pode deixar de beneficiá-los com itens básicos de saúde apenas por "suposições". 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.