Cidade está em estado de atenção nesta quarta-feira (11); estragos são vistos pelas ruas após forte chuva, rajadas de vento e descargas elétricas

Aeroporto de Santos Dumont está fechado nesta quarta-feira por causa de chuva e ventos
Reprodução/Wikipedia
Aeroporto de Santos Dumont está fechado nesta quarta-feira por causa de chuva e ventos

O Rio de Janeiro foi atingido por uma forte chuva e rajadas de vento em diversos pontos da nesta quarta-feira (11). Por toda a cidade é possível encontrar os estragos da tempestade, especialmente devido às rajadas de vento de mais de 60 km/h registrado pelos radares meteorológicos na região central, onde está o aeroporto Santos Dumont. 

+ Passagens de integração sem reajuste passam a valer nesta quarta-feira em SP

Em consequência dos fortes ventos e da chuva, o aeroporto está fechado tanto para pousos quanto para decolagens. A previsão é de chuva forte para as próximas horas, o que colocou a cidade em estado de atenção por volta das 17h. Ainda são esperadas rajadas de vento e descargas elétricas para as próximas horas. 

O Centro de Operações da prefeitura informou que o município entrou em atenção devido à aproximação de núcleos de chuva vindos da Baixada Fluminense e região serrana em atuação sobre a cidade, inicialmente na zona norte do Rio.

VLT interrompido e árvores derrubadas

O  Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) também sofreu consequências por causa dos ventos fortes nesta quarta, operando entre a Cinelândia e a Rodoviária Novo Rio, já que houve uma queda de uma árvore na Avenida Rio Branco, na altura do número 249. O trecho interditado fica entre a Cinelândia e o Aeroporto Santos Dumont e não há previsão de quando a situação será normalizada.

Já na zona sul, a tempestade atinge na favela da Rocinha, Vidigal e no Jardim Botânico. Nas zonas norte e oeste, o maior volume de chuvas é no bairro Grajaú e em Jacarepaguá, respectivamente.

Presídios têm marcas de tiro e internos bebendo água de privada após chacinas

Diversas árvores foram derrubadas pelas chuvas de hoje, como na rua Barata Ribeiro com Miguel Lemos, em Copacabana, onde uma acabou caindo, interditando o tráfego de veículos no trecho. Na entrada do túnel Martim de Sá, perto do Viaduto 31 de Março, houve queda de outra árvore e o túnel está fechado na região da Cidade Nova, perto do Sambódromo.

Os banhistas abandonaram as praias rapidamente por causa da ventania que derrubou barracas e cadeiras na areia. Na zona sul, os pontos de ônibus estão lotados, porque todo mundo deixou as praias ao mesmo tempo.

Recomendações da prefeitura

Para fugir do trânsito e do caos, a população deve evitar se deslocar pela cidade e, também, deve buscar um local seguro para se abrigar. Deve-se evitar áreas sujeitas a alagamentos ou deslizamentos e moradores de regiões de risco precisam ficar atentos aos alertas sonoros.

+ "A Uerj está sendo sucateada", diz reitor em carta direcionada ao governo do Rio

A população deve ficar atenta, já que o acionamento das sirenes indica perigo de deslizamento. Nesses casos, a orientação é se encaminhar para os pontos de apoio estabelecidos pela Defesa Civil Municipal, que são informados pelo número 199.

A prefeitura pede também que os motoristas redobrem a atenção ao dirigir e mantenham os faróis acesos, já que em caso de chuva as pistas ficam escorregadias e podem conter bolsões d’água.  Além disso, em casos de ventos fortes e chuvas com descargas elétricas, a recomendação é evitar ficar próximo a árvores ou em áreas descampadas.

*As informações são da Agência Brasil