Grevistas protestam em frente ao STF e Palácio do Planalto

Manifestantes começaram o protesto em frente ao Supremo Tribunal Federal e empunhavam faixas em que cobram melhores salários e criticam a presidenta Dilma Rousseff

Agência Estado |

Agência Estado

Cerca de 300 servidores públicos do poder Judiciário realizam nesta quarta-feira à tarde mais um dia de protesto por reajustes salariais na Praça dos Três Poderes. Em nova manifestação pública, a segunda desde que inicou do julgamento do mensalão , os funcionários realizam um intenso buzinaço e empunham faixas em que cobram melhores salários e até um "Fora Dilma!".

Outros protestos dos servidores em Brasília
Hoje: Servidores federais param o trânsito em Brasília para pressionar por negociação
Ontem:  Grevistas desocupam ministério após governo sinalizar com proposta salarial
09/08:  Servidores públicos federais realizam manifestações no País
08/08:  Servidores e policiais civis entram em choque com a PM em protesto em Brasília
18/07:  Servidores federais param o trânsito em Brasília para pressionar por negociação

Agência Brasil
Manifestantes em frente ao Palácio do Planalto, nesta quarta-feira

Os manifestantes começaram o protesto em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), a uma distância de 30 metros do prédio, num cercado montado pela segurança do Supremo especificamente para o julgamento do mensalão.

Agência Brasil
Servidores em greve e segurança do Planalto, em Brasília

Os servidores cobram do presidente do STF, Ayres Britto, que se empenhe em conseguir o aumento dos vencimentos até o final de agosto, prazo limite para a inclusão ao Orçamento da União de propostas de reajustes salariais para categorias do funcionalismo público federal.

Os representantes da categoria pretendem entregar uma carta a cada um dos 11 ministros da Corte cobrando aumento nos salários. Eles argumentam que, desde 2006, a categoria está sem reajuste, enquanto funcionários de outros poderes receberam aumento no período. Oficialmente, os servidores do Poder Judiciário da União e do Ministério Público da União estão em greve, mas a adesão ao movimento tem sido baixa.

Os servidores avançaram em direção ao Palácio do Planalto e permaneceram em frente à grade armada antes da rampa do Planalto. O trânsito em frente ao Planalto foi parado porque os manifestantes tomaram as duas pistas. A Polícia Militar está no local e vários carros da Polícia de Choque chegaram para reforçar a segurança do Planalto.

Leia também: 
Entrevista: Em semana decisiva, governo muda estratégia para encerrar greve 
Sem proposta, governo senta à mesa com grevistas
Governo calcula reajuste em R$ 60 bilhões
Governo negocia com quatro sindicatos
Em semana decisiva, governo muda estratégia para encerrar greve

Aposentados e pensionistas

Manifestantes que cobram o fim do fator previdenciário e a aprovação do Projeto de Lei 4.434/2008 que recompõe perdas salariais dos benefícios também se posicionaram em frente ao Palácio do Planalto nesta tarde. O ato foi organizado por associações de aposentados e pensionistas.

Os manifestantes chegaram ao palácio por volta de 17h20, romperam a barreira de grades montada na Praça dos Três Poderes e interditaram a rua em frente ao prédio. O trânsito foi bloqueado em parte da Esplanada dos Ministérios e o fluxo desviado para vias alternativas. De acordo com a Polícia Militar, cerca de mil pessoas participam do protesto.

O grupo carrega faixas com críticas à presidenta Dilma Rousseff e com pedidos de mudança da regra que fixa as aposentadorias, o chamado fator previdenciário. Servidores do Ministério Público da União e do Poder Judiciário, em greve há quase dois meses, também se juntaram à manifestação.

Seguranças da Presidência da República e a Polícia Militar acompanham a manifestação. Homens do Batalhão de Choque foram recebidos com vaias e estão posicionados na rampa e nas vias de acesso ao Palácio do Planalto.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG