Humberto Gomes de Barros, que foi integrante do tribunal por 17 anos, faleceu na noite de sexta-feira; apreciador de literatura, era conhecido na Casa como 'ministro poeta'

Estadão Conteúdo

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) informou, neste sábado, que o ex-ministro Humberto Gomes de Barros morreu na noite de sexta-feira em Brasília, aos 73 anos. O juiz deixou a Corte em 2008, após breve tempo na presidência do órgão. Ele fez parte da equipe por 17 anos.

Gomes de Barros se formou em Direito pela Universidade do Brasil em 1962, no Rio de Janeiro, e alguns anos depois foi viver no Distrito Federal, onde foi procurador-geral e membro do conselho da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), antes de fazer parte do grupo de juízes do STJ, em 1991.

O ex-ministro participou de julgamentos na Primeira Turma e na Primeira Seção, que chegou a presidir. Também fez parte da Terceira Turma e a Segunda Seção, assim como da Corte Especial do STJ. Foi ainda coordenador-geral da Justiça Federal, membro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e diretor da Revista do Superior, segundo a assessoria do STJ.

Apreciador da literatura, Humberto Gomes de Barros era conhecido na Casa como "ministro poeta" e publicava regularmente crônicas e poesias.

Em 2003, o ministro passou a ocupar a cadeira 18 da Academia Alagoana de Letras. Era também integrante da Academia Brasiliense de Letras. Em junho de 2011, ele foi homenageado com sua foto na galeria dos ex-presidentes do STJ.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.