Tamanho do texto

Aécio queixou-se da reação do governo a crises; Sérgio Guerra defendeu afastamento do ministro do Trabalho

selo

O senador e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves , fez hoje muitas críticas ao governo petista da presidenta Dilma Rousseff e de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva , e destacou a série de denúncias de corrupção que envolvem ministros e funcionários de alto escalão.

Entenda a origem da crise revelada pelo iG:
- Ministério do Trabalho entra na crise que atinge o Esporte

- PDT comandava ONG sob suspeita ligada ao Ministério do Trabalho
- Coordenador de contratos do Trabalho emprega mulher em ONG ligada ao PDT

Para Aécio, governo só atua de maneira 'reativa' a denúncias de corrupção
Agência Estado
Para Aécio, governo só atua de maneira 'reativa' a denúncias de corrupção
"Para usar uma expressão da presidenta, o malfeito para este governo só é malfeito quando vira escândalo. Até lá, é bem-feito", disse Aécio, na chegada a um seminário organizado pelo PSDB, no Rio de Janeiro. "O governo age reativamente", criticou.

Aécio definiu o seminário de hoje do partido como a "largada para um novo momento do PSDB". Possível candidato à Presidência em 2014, Aécio disse, porém, que a discussão é sobre temas nacionais e não sobre eleições. E criticou o governo Lula por não ter "enfrentado contenciosos", como a reforma previdenciária e política.

O presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), defendeu o afastamento do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, depois das denúncias de corrupção no ministério . "Todos os que forem denunciados com lógica e sentido devem sair", afirmou.

O seminário reúne tucanos como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador Geraldo Alckmin e economistas como Pérsio Arida e Armínio Fraga. O ex-governador de São Paulo José Serra, que estava em viagem ao exterior, não deverá participar. Alguns tucanos, no entanto, brincavam que ele ainda poderia aparecer, "atrasado, como sempre".