Tamanho do texto

Para Sérgio Guerra, se o PSDB estivesse no poder “seguramente” já teria privatizado os aeroportos há mais tempo

As lideranças do PSDB no Congresso Nacional fizeram hoje (7) uma “crítica política” ao processo de privatização dos aeroportos de Brasília, no Distrito Federal, e Cumbica e Viracopos, em São Paulo , cujo leilão ocorreu ontem (6). Acompanhado dos líderes do partido na Câmara e no Senado, o presidente da legenda, deputado Sérgio Guerra (PE), disse que o PT usou as privatizações feitas pelos tucanos para atacá-los durante a campanha eleitoral.

Leia também: Ágio indica que governo subestimou preços dos aeroportos

“No Nordeste, onde a presidenta Dilma ganhou com mais de 10 milhões de votos, o discurso central do PT foi no sentido de dizer que nós [PSDB] iríamos privatizar o Banco Nordeste, o Banco do Brasil, os Correios. Nós nunca dissemos que iríamos privatizar nenhuma dessas empresas”, lembrou Guerra. Para quem, o PT agora está privatizando da mesma forma como o seu partido fez durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso e “não tem coragem política” de assumir.

Apesar de acusar o governo petista de entrar em contradição, Guerra declarou que a crítica ainda é política e que as avaliações técnicas sobre as condições da privatização dos aeroportos serão feitas com o tempo. Ele também admitiu que se o PSDB estivesse no poder “seguramente” já teria privatizado os aeroportos há mais tempo.

De acordo com o senador tucano, o problema não está em conceder a administração dos terminais à iniciativa privada e sim na falta de controle social e de fiscalização sobre o processo. “Outras reformas teriam sido feitas também [se o PSDB estivesse no poder]. Teríamos marcos regulatórios mais firmes, agências reguladoras verdadeiramente públicas e que controlassem o funcionamento do mercado, e não essa festa que está aí”, declarou.

Guerra criticou ainda o preço excessivamente baixo cobrado para a concessão e o fato de terem sido privatizados os aeroportos mais rentáveis e não os que causam mais prejuízos. “O filé foi concedido, o osso não”, disse.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), antecipou-se à entrevista coletiva do PSDB e, mais cedo, discursou em plenário para defender processo de concessão dos aeroportos e a decisão do governo petista de privatizá-los. “O que nos diferencia do governo anterior não é uma posição ideológica necessariamente em relação à privatização, mas o que privatizar”, disse Costa.

O líder petista também ressaltou que a concessão dos maiores aeroportos vai render recursos para serem investidos nos terminais menores, que atualmente não são rentáveis. “Nós privatizamos a estrutura de prestação de serviços em terra para os aeroportos brasileiros, o que vai facilitar, com novos recursos e rapidez, a chegada de reformas para a Copa do Mundo e, ao mesmo tempo, recursos que estão entrando para serem investidos na aviação regional”, defendeu.

Os aeroportos de Brasília (DF) e Cumbica, em Guarulhos (SP), têm o maior fluxo de passageiros do país e o Viracopos, em Campinas, o maior fluxo de cargas. O leilão para concessão dos três aeroportos ocorreu na Bolsa de Valores de São Paulo e totalizou R$ 24, 5 bilhões de arrecadação para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). As empresas vencedoras irão administrar os terminais, mas não o controle aéreo, que continuará nas mãos da Força Aérea Brasileira (FAB).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.