Tamanho do texto

Para Marco Maia (PT), ministro da Fazenda não tem necessidade de prestar esclarecimentos sobre troca de comando na Casa da Moeda

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), disse hoje (7) que não vê necessidade de o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ser convocado para prestar esclarecimentos sobre a troca de comando na Casa da Moeda no plenário da Casa. A proposta para convocação do ministro foi apresentada hoje pelo líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Buenno (PR).

Leia também: DEM quer que Mantega explique na Câmara demissão na Casa da Moeda

Segundo Marco Maia, a decisão de convocar ou não o ministro cabe às comissões. Para ele, o plenário da Câmara tem servido como palco para “grandes discussões” de temas relevantes e de interesse nacional. Maia não considera que as explicações de Mantega se enquadrem nesses critérios. “Na minha avaliação, esse assunto não dialoga com a realidade do nosso plenário. Ele é um espaço nobre, que temos utilizado para fazer os grandes debates da sociedade, na área da saúde, da Previdência. Os grandes temas são tratados no plenário. Esta questão não é um grande tema nacional. É um tema específico que deverá ser remetido às comissões da Câmara para que elas analisem a necessidade ou não da vinda do ministro”, disse Marco Maia.

Mesmo contrário a convocação de Mantega, o presidente da Câmara disse que o requerimento de convocação será posto em votação. Ele ponderou que, no ano passado, o ministro Guido Mantega esteve diversas vezes na Câmara para prestar esclarecimentos pedidos pela oposição.

“Na verdade, esse é um debate que deverá ser tratado nas comissões, quando estas forem formadas. Não vejo nenhum problema de o ministro vir à Câmara falar sobre qualquer assunto. Aliás, o ministro, em todas as oportunidades em que foi convidado para falar na Câmara, veio com a maior tranquilidade e presteza. Agora, neste caso especifico, não sei se há a necessidade”, argumentou Maia.

No início da semana passada, o diretor da Casa da Moeda Luiz Felipe Denucci foi demitido na véspera de o jornal Folha de S.Paulo publicar uma reportagem que o aponta como suspeito de ter transferido US$ 25 milhões para duas empresas no exterior registradas nos nomes dele e da filha.

PPS quer convocação

Além de PSDB e DEM , o PPS também quer a convocação de Mantega. O líder do PPS na Câmara dos Deputados, Rubens Bueno (PR), informou que vai apresentar, hoje (7) à tarde, requerimento de convocação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para esclarecer, no plenário da Casa, a responsabilidade pela indicação do ex-diretor da Casa da Moeda Luiz Felipe Denucci. No início da semana passada, Denucci foi exonerado do cargo e, logo depois, reportagem do jornal Folha de S.Paulo o apontou como suspeito de ter transferido US$ 25 milhões para duas empresas no exterior registradas em nome dele e da filha.

"Nossa intenção era realizar uma acareação na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, entre o ministro, o líder do PTB, Jovair Arantes (GO), e o presidente do partido, Roberto Jefferson, para esclarecer a responsabilidade pela indicação do ex-diretor", explicou Bueno. Como a comissão ainda não está instalada, Bueno disse que será pedida a convocação do ministro para dar explicações no plenário, "Se acharmos que ele não foi convincente, recorreremos depois à acareação na comissão”, explicou Bueno.

O líder do PPS classificou de “muito graves” as denúncias contra Denucci, cuja indicação para o cargo foi atribuída pelo ministro da Fazenda ao PTB, fato negado por Arantes e Jefferson. O economista é suspeito também de cobrar propina de fornecedores da Casa da Moeda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.