Tamanho do texto

Deputado fechará apoio com PR para liquidar chances de candidatura do líder da bancada do partido na Casa, Sandro Mabel (PR-GO)

O deputado Marco Maia (PT-RS) acerta os últimos de detalhes para ser o candidato único à Presidência da Câmara. Nesta terça-feira, fechará apoio com o PR e liquidar as chances de candidatura do líder da bancada do partido na Casa, Sandro Mabel (PR-GO). Julio Delgado (PSB-MG) e Aldo Rebelo (PC do B-SP) já desistiram.

Mabel não esconde mais sua falta de apoios. “Conto com ajuda de Deus”, disse ao iG na tarde desta segunda-feira. Sobre o fato de o seu partido, o PR, apoiar Marco Maia, resigna-se: “Tem que negociar espaços na Mesa Diretora. Acho que o partido está certo. Faz parte da base aliada”.

E o nome do PR para compor a chapa de Marco Maia já está definido. Trata-se do deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE). Nesta segunda, inclusive, ele se reuniu com o candidato do PT em Recife. Juntos, participaram de uma audiência com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Duas vezes presidente da Câmara quando ainda era filiado ao extinto PFL (hoje DEM), Inocêncio é um deputado acostumado a ocupar cargos na Mesa Diretora. Desta vez, irá ficar com a Terceira-Secretaria, responsável pelo controle de passagens aéreas e faltas dos colegas. O posto é uma garantia de troca de apoio do PR à candidatura de Marco Maia.

Um dos coordenadores da campanha de Marco Maia, o deputado Maurício Rands (PT-PE) afirmou que “a fatura está quase liquidada”. “A candidatura está de vento em popa. Fechamos o acordo com o PSB e o PR, que vai indicar o Inocêncio”, disse Rands, que articulou o nome de Maia ainda dentro da disputa interna no PT.

Rands lembrou que, em Pernambuco, apenas o PMDB local ainda não fechou com Maia. “Aqui eles são dissidentes”, afirmou, lembrando que o partido disputou o governo contra Campos por meio da candidatura oposicionista de Jarbas Vasconcellos (PMDB). “Mas são coisas isoladas. O PMDB, em sua maioria, ficará com Maia”, ressalta Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deputado influente na bancada.

O encontro com o governador de Pernambuco, Eduardo Campo, também selou de vez o apoio ao PSB a Marco MAia. Isso porque Campos é o presidente nacional da sigla. Mas o candidato do PT previniu-se. Antes de encontrar-se com o pernambucano, fez uma visita ao governador do Ceará, Cid Gomes, que trava uma luta interna com Campos no PSB.

Mabel mantém contatos

Por meio de nota oficial, o PR assumiu publicamente seu apoio a Marco e divulgou o jantar que irá fazer em homenagem ao candidato do PT à Presidência da Câmara nesta terça-feira à noite. Líder da bancada, Sandro Mabel disse que foi convidado para o evento, mas preferiu não participar.

“Tem muita gente que acha que tenho de ser candidato. Por isso eu mantenho as conversações sobre o assunto”, disse Sandro Mabel. Sobre as desistências de Aldo Rebelo e Julio Delgado, afirma: “Se eles acharam que foi bom para eles, tudo bem. Eu prefiro aprofundar um pouco mais a análise (da candidatura à presidente)”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.