Tamanho do texto

Presidenta não tem compromissos oficiais neste fimde semana e, segundo assessores, não deve receber visitas de trabalho

Há quase um mês na Presidência, Dilma Rousseff continua morando na Granja do Torto, espécie de casa de campo oficial, em Brasília, onde passa o final de semana sem compromissos oficiais. Segundo assessores, a presidenta não deverá receber nenhuma visita de trabalho e passa o sábado e domingo descansando. Na segunda pela manhã, ela embarca para a Argentina onde cumpre uma agenda intensa com a presidente Cristina Kirchner.

Dilma só deverá mudar para o Palácio do Alvorada no começo de fevereiro. Em 2003, ao ser eleito pela primeira vez, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se mudou para o Alvorada já no dia 4 de janeiro.

A presidenta espera a conclusão de alguns reparos no palácio para se mudar. Ao ser eleita, ela avisou que passaria a viver no Alvorada acompanhada da mãe, Dilma Jane, e da tia, Arilda. Elas deixaram Belo Horizonte (MG) para morar com Dilma no Alvorada. A exemplo da Granja do Torto, o Alvorada terá um quarto reservado para a filha Paula, o marido Rafael Covolo e o neto Gabriel.

Desde o dia 15 de novembro, Dilma passou a morar na Granja do Torto e lá permaneceu durante todo o período de transição do governo. Os antecessores de Dilma, os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso afirmaram que o local era um dos mais agradáveis de Brasília, porque reunia beleza natural com uma arquitetura simples e acolhedora.

Os ex-presidentes também elegeram a Granja do Torto como o lugar para as reuniões ministeriais. Além de uma ampla sala, o local, que fica distante do centro de Brasília, dispõe de uma ampla área privativa. Ao se mudar para o Torto, Dilma repetiu o que fez o presidente Lula, em 2002, durante a transição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.