Tamanho do texto

Instituição está em greve há três semanas. Presidenta participará no local da Bienal Internacional do Livro

Cerca de 500 pessoas - estudantes, professores e servidores do Colégio Pedro II em sua maioria - fazem um protesto contra a presidenta Dilma Rousseff na tarde desta quinta-feira (1º) no Riocentro, na zona oeste do Rio de Janeiro. Dilma é aguardada no local para participar da 15ª  Bienal Internacional do Livro . A abertura do evento foi atrasada por causa da manifestação .E a segurança foi reforçada.

Com apitos, buzinas e faixas, os manifestantes gritam palavras de ordem contra a política de educação do governo federal. Uma das instituições mais tradicionais do Rio, o Colégio Pedro II enfrenta greve de professores e servidores há três semanas.

"A Dilma cortou R$ 3 bilhões da educação e os professores do Pedro II estão com os salários congelados há dez anos", afirmou Ygor Pena, de 15 anos, da unidade de Realengo, na zona oeste.

"Dilma a culpa é sua. A greve continua", gritavam em tom exaltado os manifestantes.

De acordo com Juliana Costa, aluna do Pedro II em Niterói, a unidade funciona precariamente em um Ciep cedido pelo governo do Rio e falta até papel higiênico nos banheiros.

Em uma das faixas os manifestantes pedem que 10% do PIB (Produto Interno Bruto) seja destinado a educação. Há outras com os dizeres "Luto pela educação", "Toda mãe quer o melhor e você, Miriam Belchior (ministra do Planejamento)?". "Greve no Pedro II e concursos públicos já".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.