Tamanho do texto

Governador paulista volta a defender a criação de um conselho político no partido. Tema será debatido amanhã em Minas

selo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou hoje que o rodízio anual para o comando do PSDB poderá ser implantado novamente pela legenda. Ele lembrou que a iniciativa foi aplicada quando a sigla foi criada.

"É uma hipótese que nós já tivemos quando nasceu o PSDB. A primeira Executiva Nacional foi rotativa, oito meses cada um, começando com o então senador Mario Covas", disse,  em cerimônia de sanção de projeto de lei que reajusta as faixas do piso salarial paulista , na sede do executivo paulista.

O governador voltou a defender a criação de um Conselho Político no PSDB, uma instância que seria formada por líderes da sigla, sem funções administrativas, para discutir a atuação nacional da legenda. A iniciativa tem o apoio de caciques do PSDB, como o senador Aécio Neves (MG) e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. "Eu venho defendendo esse Conselho Político, um colegiado que atue junto à Executiva Nacional", disse. A alternativa é vista, nos bastidores, como uma forma de arrefecer a disputa em torno da Presidência Nacional do PSDB.

Alckmin em cerimônia de sanção da lei que reajusta faixas do piso salarial
AE
Alckmin em cerimônia de sanção da lei que reajusta faixas do piso salarial

O atual presidente da sigla, deputado federal Sérgio Guerra (PE), vem articulando a reeleição ao cargo, em oposição a um grupo de tucanos que defende a indicação do ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) para o posto. O ex-governador nega, oficialmente, a pretensão política. A disputa pelo comando do PSDB será, inclusive, um dos temas de encontro entre os oito governadores da sigla, que será promovido amanhã, em Belo Horizonte. O cargo é estratégico para as pretensões da sigla na disputa presidencial em 2014. No evento de hoje, Alckmin admitiu que a questão deve ser discutida amanhã.

"Os nossos temas são administrativos. Agora, é natural que tenham conversas políticas", disse. "Nós não vamos definir a questão do Diretório Nacional do PSDB. Essa é uma tarefa coletiva, mas ela pode ser discutida. Não vejo problemas nisso", acrescentou. O governador de São Paulo antecipou que apresentará no encontro medidas na área de segurança pública adotadas em São Paulo, enquanto o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, abordará iniciativas na área de educação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.