General Santos Cruz tem larga experiência internacional e já chefiou missões de paz da ONU no Haiti e no Congo
Flickr Monusco
General Santos Cruz tem larga experiência internacional e já chefiou missões de paz da ONU no Haiti e no Congo

general da reserva e ex-ministro Carlos Alberto Santos Cruz abriu conversas com partidos de centro que articulam uma candidatura de terceira via à Presidência da República em 2022. Santos Cruz disse ao GLOBO que já recebeu convites de siglas como PSL, Podemos e MDB. No entanto, nega ter tratado de candidatura específica ou formação de chapa.

Ainda assim, o nome do general é cotado para vice de uma eventual candidatura à Presidência da República do apresentador José Luiz Datena , que se filiou ao PSL nesta semana. Não se descarta a possibilidade de lançá-lo ao Senado.

— O PSL conversou comigo, mas foi um convite para entrar no partido, assim como tive outros convites, como do Podemos. E o MDB, que é um partido forte também me convidou. Mas nunca se falou sobre candidatura específica — disse Santos Cruz.

A aliados, o militar não esconde o interesse em concorrer a algum cargo público em 2022. Uma das possibilidades é que ele saia candidato a senador por Brasília, como mostrou o colunista Lauro Jardim há duas semanas.

Bozzella, que foi até a casa do ex-ministro na semana passada para fazer o convite, afirmou que uma candidatura ao Senado seria uma boa opção para o general, mas que essa decisão passa primeiro por uma eventual filiação.

— Transmiti a ele nosso sentimento de tê-lo no partido, mas estamos aguardando. Ficamos de conversar nos próximos dias para evoluir a conversa — afirmou Bozzella.

Você viu?

O PSL tem atraído grupos que romperam com Bolsonaro desde 2019. Além da procura por Santos Cruz, a legenda deu espaço em São Paulo para uma liderança do MBL, o vereador Rubinho Nunes, e pretende abrir as portas para outros membros do grupo.

O plano da legenda é lançar o deputado estadual Arthur do Val, hoje no Patriota, a governador de São Paulo em 2022. Datena , por sua vez, é tratado como o presidenciável do PSL. Mas o apresentador diz que só deve bater o martelo sobre a candidatura em janeiro ou fevereiro de 2022, a depender da colocação que estiver nas pesquisas eleitorais

Datena entrevistou Santos Cruz em seu programa de rádio na Bandeirantes na segunda-feira. Nele, o ex-ministro tratou da possibilidade de uma candidatura para o ano que vem, mas sem especificar a que cargo.

Crítico do PT e desiludido com o governo do presidente Jair Bolsonaro, Santos Cruz afirmou que foi procurado pela presidente do Podemos, a deputada Renata Abreu (SP), e pelo vice-presidente nacional do PSL, o deputado Júnior Bozella (SP). No MDB, o general preferiu não dizer quem é o seu interlocutor. Durante o governo de Michel Temer, o militar foi secretário nacional de Segurança Pública.

Fontes do MDB confirmam que o general foi sondado para se filiar à sigla na eleição municipal do ano passado, mas avaliam que o perfil de Santos Cruz hoje se assemelha mais ao PSL.

— A gente não pode viver nessa situação de conflito. Quando você vê a irresponsabilidade dessa polarização, tem que alertar a sociedade que temos que ter paz social, equilíbrio e harmonia.E vou dar a minha contribuição. Pela política é possível alertar e fazer isso — disse o general..

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários