Major Olímpio (PSL-SP) teve complicações pela Covid-19
Jefferson Rudy/Agência Senado
Major Olímpio (PSL-SP) teve complicações pela Covid-19

Médicos desaconselharam a doação dos órgãos do senador Major Olímpio (PSL-SP), que morreu nesta quinta-feira (18) vítima de complicações da Covid-19 . Assim que a morte foi confirmada, a família do parlamentar disse que aguardaria para ver que órgãos poderiam ser doados para cumprir um desejo dele.

A doação de órgãos de pessoas que morreram por Covid-19 , no entanto, contraria determinação do Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em nota técnica publicada em maio do ano passado, a pasta faz a "contraindicação absoluta para doação de órgãos e tecidos" de pessoas que estavam infectados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Já a norma da Anvisa diz que a orientação é de "contra-indicação absoluta". No caso de pessoas que contraíram o vírus, mas que tiveram regressão completa dos sintomas há mais de 14 dias estão elegíveis para a doação desde seja realizado um teste RT-PCR e o resultado seja negativo 24 horas antes da captação dos órgãos. 

Em 5 de março, o Major Olímpio foi transferido para a UTI do hospital em que estava internado em São Paulo. Antes, ele participou de uma sessão remota do Senado já hospitalizado por conta da Covid-19. Sete dias depois de ir para a UTI, o senador precisou ser intubado com o agravamento da doença.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários