Tião Bocalom
Divulgação
Tião Bocalom

A Prefeitura de Rio Branco será comandada por Tião Bocalom (PP) pelos próximos quatro anos. Ele superou a atual prefeita e candidata à reeleição, Socorro Neri (PSB), no segundo turno, que foi disputado neste domingo.

De acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Bocalom obteve 62,5% dos votos válidos (93.472 votos) com 89,39% das urnas apuradas. Socorro, por sua vez, recebeu 37,9% dos votos válidos (57.174 votos).

A vitória interrompe uma hegemonia de 15 anos da esquerda em Rio Branco. Além disso, é uma repetição do que houve em 2018, na disputa pelo governo do Estado, quando Gladson Cameli foi eleito, interrompendo a hegemonia de vinte anos do PT (dois mandatos de Jorge Viana, um de Binho Marques e dois de Tião Viana).

O vitorioso votou acompanhado da vice-prefeita, Marfisa Galvão, e dos senadores Sérgio Petecão e Mailza Gomes. Na saída, mostrou todo o otimismo. "Basta ver como foi no primeiro turno, a alegria continua no segundo. Então, não tenho dúvida nenhuma de que teremos uma grande vitória no segundo turno", disse.

Bocalom foi duas vezes prefeito de Acrelândia, mas, a partir de 2006, foi candidato três vezes seguidas ao governo. Nesse meio tempo, disputou e perdeu duas vezes a eleição para a prefeitura de Rio Branco. Em 2018, na onda do bolsonarismo, se filiou ao PSL e foi o quinto candidato a deputado federal mais votado no Acre, mas ficou de fora.

Nessa eleição, teve o apoio do governador Cameli, do senador Márcio Bittar (MDB) e, nesta semana, recebeu uma declaração de voto do presidente Jair Bolsonaro. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários