Nesta sexta-feira (15), o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), atualizou seu perfil no Twitter para rebater críticas tecidas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a sua pessoa. 

Leia também: Covid-19: governador de Nova York estende quarentena até junho

Arthur Virgílio Neto e Jair Bolsonaro
Divulgação PSDB e Reprodução Globo
Arthur Virgílio Neto e Jair Bolsonaro

"Enquanto estou lutando incansavelmente para combatermos a Covid-19 , fui agredido gratuitamente pelo pr Bolsonaro , que nada sabe sobre a guerra que travamos contra a pandemia. Não vou admitir ser depreciado e tão pouco aceitarei qualquer desrespeito ao nome da minha família", escreveu o prefeito de Manaus no Twitter

Leia também: Covid-19 mata mais jovens adultos no Brasil do que em países da Europa

A reação de Arthur Virgílio Neto partiu do pressuposto que, segundo a revista Veja , na reunião ministerial de 22 de abril, o presidente teria chamado o prefeito de Manaus de “vagabundo”.

Você viu?

No vídeo, o mandatário ainda teria feito menção ao pai do político, Arthur Virgílio Filho, senador que foi perseguido e cassado pela ditadura militar (1964-1985).

Leia também: China pode ter 640 mil casos de Covid-19 ao invés de 80 mil

A gravação da reunião é peça central no inquérito no Supremo Tribunal Federal que investiga interferência de Bolsonaro na Polícia Federal. Nas redes sociais, a publicação de Arthur Virgílio Neto foi apoiada pelos internautas. Confira reações.




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários