Presidente Jair Bolsonaro
Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro

Na reunião ministerial de 22 de abril, que foi citada pelo ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, em depoimento à Polícia Federal, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria reclamado de uma nota da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que lamentava a morte de um dos seus agentes pelo Covid-19, segundo relatos ouvidos pela Folha de S. Paulo divulgados nesta sexta-feira (8). O governo tem relutado em divulgar a gravação da reunião, que foi solicitada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também: Fechados com o capitão: O que afasta e o que aproxima Bolsonaro de seus ministros

No dia anterior à reunião, em 21 de abril, a PRF divulgou uma nota de luto pela morte do agente da corporação em Santa Catarina, Marco Roberto Tokumori, que foi vítima da Covid-19. Segundo os relatos, Bolsonaro teria reclamado o tom da nota.

A nota, que foi assinada pelo diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal , Adriano Furtado, afirmava que "a doença, a Covid-19, não escolhe sexo, idade, raça ou profissão". Também dizia que o agente ficou internado por 21 dias e que "contra ela, Marcos lutou bravamente". ​

Para Bolsonaro, de acordo com os relatos, a nota poderia assustar as pessoas e não mencionava se o agente possuía comorbidades (outras doenças prévias que poderiam ter dificultado o combate à Covid-19 ). 

Leia também: Fake news é ferramenta política de Bolsonaro, diz cientista política

Confira a nota criticada por Bolsonaro :



    Veja Também

      Mostrar mais