moraes
Rosinei Coutinho/STF
Ministro do STF Alexandre de Moraes

Tão logo o ministro Alexandre de Moraes , do Supremo Tribunal Federal ( STF ), determinou a imediata suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal , grupos bolsonaristas deram início a uma campanha difamatória contra o magistrado nas redes sociais.

Leia também: Homem que atacou enfermeiras trabalha na pasta de Direitos Humanos do governo

Foram disparados memes e informações que tentavam tirar a credibilidade do ministro. Os cards – como são chamados os cartões produzidos para viralizar – mostravam Alexandre de Moraes com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), desafeto do presidente Jair Bolsonaro, e também com o deputado federal Aécio Neves (PSDB), flagrado em um áudio com o empresário Joesley Batista , da J&F, acertando o recebimento de R$ 2 milhões para pagar advogados.

Leia mais:  Bolsonaro manda jornalista "calar a boca" e nega agressão física à imprensa em protesto

Ordens eram dadas em grupos de apoiadores de Bolsonaro no Telegram e no WhatsApp no sentido de convocar a militância a usar as hashtags #STFditador e #STFVergonhaNacional. Com a mobilização, rapidamente as palavras ganharam destaques nos trending topics do Twitter . As ações coordenadas nesses grupos são, na maioria das vezes, administradas por perfis fictícios.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários