Na tarde deste sábado (14), começou a circular por grupos de WhatsApp de funcionários ligados ao Senado Federal uma suposta ata desenvolvida pelo presidente da Casa e do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre (DEM-AP). No documento, novas diretrizes de prevenção para conter a propagação do novo coronavírus são determinadas.

Leia também: Alcolumbre prega reunificação e quer Senado livre de "mesquinhada do Judiciário"

Davi Alcolumbre, presidente do Senado
Pedro França/Agência Senado
Davi Alcolumbre, presidente do Senado

Ainda sem assinatura de  Davi Alcolumbre , a suposta ata  lista que os colaboradores do Senado com idade superior a 65 anos ou que façam parte de um grupo de risco, como gestantes, pessoas com doenças crônicas ou imunodeprimidos, continuem suas jornadas em regime de teletrabalho, também conhecido como home office. 

Leia também: Alcolumbre testa negativo para o novo coronavírus

Aos que não fazem parte deste grupo, o documento determina que a obrigatoriedade de "registro eletrônico" está suspensa, podendo o colaborador optar por trabalhar de casa se preferir.

Você viu?

Além disso, também estão suspensos a obrigatoriedade de recadastramento de aposentados e pensionistas do Senado Federal e o atendimento interno para servidores com relação a questões administrativas. 

Leia também: Davi Alcolumbre garante apoio "irrestrito" a brasileiros na China

Recentemente, Davi Alcolumbre e outros executivos que acompanharam o presidente Jair Bolsonaro (sem legenda) em uma viagem aos Estados Unidos foram diagnosticados como infectados pelo coronavírus . A veracidade da ata não foi confirmada. Confira o documento.

Davi
REPRODUÇÃO WHATSAPP
Suposta ata de novas diretrizes de prevenção para o Senado



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários