Kátia Abreu
Agência Senado
Kátia Abreu

A senadora por Tocantins Kátia Abreu filiou-se nesta terça-feira (10) ao Progressista (PP). Abreu estava sem partido nos últimos meses, desde que deixou o Partido Democrático Trabalhista (PDT), no ano passado, após ter sido criticada por votar a favor da reforma da Previdência, medida que o PDT era contra.

Leia também: Márcio França anuncia candidatura à prefeitura de São Paulo com apoio de PDT 

" Kátia Abreu vem somar a todos os progressistas, as suas bandeiras são muito bem aceitas aqui, principalmente o que diz respeito ao agronegócio", disse o partido Progressista em postagem nas redes sociais. A sigla é conhecida por ser mais voltada à direita, diferente do PDT que se estabelece como centro-esquerda.

Abreu será a terceira mulher a representar o Progressista no Senado, que até então só tinha as senadores Daniella Ribeiro, Paraíba, e Mailza Gomes, Acre, em sua bancada. 

A atual senadora já foi ministra da Agricultura durante o governo de Dilma Rousseff (PT). Na época, ela era filiada ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e acabou sendo expulsa da sigla em 2017, por não ter apoiado o impeachment de Dilma, algo que o PMDB era a favor, e criticar o então presidente Michel Temer (PMDB).

Leia também: Tabata Amaral diz que partidos são barreira da renovação da democracia

Em 2018, Kátia Abreu filiou-se ao PDT e disputou as eleições presidenciais como vice de Ciro Gomes (PDT). A sigla reagiu de forma rigorosa com todos os seus políticos que votaram a favor da reforma da Previdência. Além de Abreu, a deputada federal Tabata Amaral também foi criticada e está procurando novos partidos.


    Veja Também

      Mostrar mais