Lula
Alex Oliveira / FramePhoto / Agência O Globo
Ex-presidente Lula

A defesa do ex-presidente Lula ratificou a inocência do petista e disse que houve violação em arquivos da Odebrecht no caso em que ele é acusado pela Operação Lava Jato de ter recebido um terreno da empreiteira para a construção de um nova sede para o Instituto Lula .

No documento entregue pelos seus advogados nesta quarta-feira (26) à 13ª Vara Federal de Curitiba como parte das alegações finais do ex-presidente nesse caso, eles afirmam que a cadeia de custódia dos arquivos pode ter sido violada. Isso significa que as provas podem ter alteradas no caminho entre os servidores localizados na Suíça (onde estavam armazenados) e a sua inclusão no processo.

Leia também: “Na ditadura tinham mais respeito pela Constituição do que agora", diz Lula

Os arquivos dos sistemas Drousys e Mywebdayb, usados pela Odebrecht para organizar as planilhas com os dados de propinas e doações eleitorais irregulares pagas pela empresa a diversos políticos, estão entre as principais peças de acusação do MPF (Ministério Público Federal) contra o petista.

A defesa de Lula foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin a fazer uma perícia independente dos documentos. Nas entrevistas com integrantes da Polícia Federal que fizeram essa checagem, no entanto, o profissional contratado pelos advogados de Lula teve a resposta de que os arquivos vieram diretamente da Odebrecht.

    Leia tudo sobre: Lula

    Veja Também

      Mostrar mais