panfleto
Reprodução
Ameaça foi denunciada pelo Psol

Membros do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) em Niterói, na Região Metropolitana, denunciaram ter sofrido ameaças por escrito na noite desta quarta-feira, em um texto intitulado "Marielle Ausente! Comunista bom é comunista morto! Um ultimato ao PSOL.". As informações são do jornal O Dia.

Em uma postagem nas redes sociais, o deputado estadual Flávio Serafini relatou o ocorrido. "O discurso de ódio está por toda parte. Em mais uma tentativa de nos intimidar, recebemos na noite de ontem (19), na sede do PSOL Niterói, um extenso documento repleto de ofensas antissemitas, injúrias raciais e LGBTfóbias e ameaças. O documento, que foi jogado por um homem enquanto ocorria uma reunião em nossa sede, escancara o ódio à figuras públicas e parlamentares da esquerda e à nossa companheira Marielle Franco", escreveu. 

Leia também: "Há cheiro de queima de arquivo no ar", diz Boulos sobre morte de miliciano

De acordo com Serafini, foi registrado um boletim de ocorrência na 77ª DP (Icaraí). 

A deputada federal Talíria Perone também comentou o episódio. "Um neonazista deixou no PSOL Niterói um panfleto racista e misógino ameaçando a sede e os militantes. Se o PSOL não retirasse a candidatura à prefeitura incendiariam a sede e atropelariam militantes. Filmamos a cara dele. Nenhum passo daremos atrás", disse a parlamentar. Procurada, a Polícia Civil não havia comentado o caso até esta publicação. 

    Veja Também

      Mostrar mais