O advogado Admar Gonzaga, ex-ministro do TSE, foi denunciado pelo Ministério Público do Distrito Federal por “perturbação da tranquilidade da ex-mulher”, Élida Souza. A notícia saiu na manhã deste sábado (01) na Época .

admar gonzaga
Roberto Jayme/Ascom/TSE
Admar Gonzaga, advogado de Bolsonaro e ex-ministro do TSE

Leia também: Mourão é escalado para corrigir erros de Salles na Amazônia

De acordo com a publicação, o advogado agrediu a ex-mulher no ano passado e teria perseguido Élida por duas semanas em julho de 2017. Ele, inclusive, contratou o detetive particular, Ailton Ferreira, para colocar um rastreador no carro de Élida. O aparelho foi encontrado no assoalho do veículo.

A denúncia contra Admar Gonzaga foi apresentada em outubro de 2019 pelo Ministério Público do Distrito Federal e será julgada pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal. “Me chamou de prostituta, veio para cima de mim e me deu um soco”, disse Élida em entrevista à revista Época .

Leia também: Moro consolida agenda de segurança pública após ficar perto de perder a pasta

O advogado de Bolsonaro , no entanto, alega que não foi convocado para se defender e o MP “nem me chamou para que eu me explicasse”.

    Veja Também

      Mostrar mais