IstoÉ

Secom
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Fábio Wajngarten, chefe da Secom do governo

Muito se tem criticado os filhos do presidente por suas opiniões enviesadas, suas análises inconsistentes e suas falas infames, mas desta vez o filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro, acertou na mosca. Ele disse em um Twitter recentemente que a “comunicação do governo é uma bela porcaria”. Não poderia ter sido mais certeiro do que isso.

Leia também: Contrariando promessa, Bolsonaro assina indulto natalino para criminosos

Não resta dúvidas de que a comunicação governamental, dirigida pelo secretário da Secom (Secretaria de Comunicação), Fábio Wajngarten, é realmente uma “bela porcaria”, como diz Carluxo, o filho 02 de Bolsonaro . Afinal, a Secom discrimina empresas de comunicação, oferecendo verbas públicas apenas às empresas que falam bem do governo, ou como ele mesmo diz, “empresas de mídia convertidas ao bolsonarismo”.

Isso significa dizer que Wajngarten desrespeita qualquer norma técnica de usar as verbas públicas de publicidade – sim, públicas, e não dele ou do mandatário da presidência – de acordo com os requisitos legais de indicadores de audiência, a chamada mídia técnica.

Ele mesmo disse no seu Twitter que iria fazer de tudo para “quebrar” as empresas tradicionais de mídia, como as revistas, deixando milhares de pessoas sem emprego. E já ameaçou até a TV Globo de não renovar a concessão em 2022. E, pior, ameaçou cortar as assinaturas de jornais, como a Folha de S. Paulo, que são isentas na cobertura jornalística do que acontece no Palácio do Planalto.

Leia também: Retrospectiva de maio: Bolsonaro no Nordeste e cortes de verbas da Educação

Por tudo isso, a conclusão a que Carlos Bolsonaro chegou, de que a comunicação do governo é “uma bela porcaria”, é a mesma a que chegaram vários executivos que dirigem as empresas de comunicação, perseguidas pelo governo Bolsonaro, tendo Wajngarten à frente da Secom.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários