Tamanho do texto

Presidente disse que educador, considerado patrono da educação, era "energúmeno" e "ídolo da esquerda" ao criticar programação da TV Escola

Ana Maria Araújo Freire arrow-options
Reprodução
Ana Maria Araújo Freire, de 86 anos, disse que o marido veio à Terra "para pacificar o mundo"

A viúva do educador Paulo FreireAna Maria Araújo Freire , respondeu os ataques do presidente Jair Bolsonaro , que chamou o marido de "energúmeno" e "ídolo da esquerda" , e disse que ele é um "homem nefasto, sem pudor e caráter" por ofender o pensador. Nesta segunda-feira (16), Bolsonaro fez críticas a Freire e à TV Escola , a qual ele disse que tinha uma programação "totalmente de esquerda". 

"A palavra não se adequa a Paulo. Paulo não é isso. Paulo não é nenhum demônio que veio à Terra. Pelo contrário, Paulo veio à Terra para pacificar o mundo", disse Ana Maria em entrevista á revista Época .

Leia também: Mural do Paulo Freire 'representa o fracasso' do Brasil no Pisa, diz Weintraub

“No fundo, ele [Bolsonaro] pensa que Paulo é um grande homem, como é. Ele destrata dizendo que Paulo é um ser diabólico. Paulo foi um ser da paz. No fundo, ele tem um pouco de inveja também, queria ser como Paulo foi, mas não pode, não consegue. Tem de estar o tempo todo de pontaria armada para atingir alguém”, completou a educadora.

Após a repercussão das falas do presidente, o  Senado aprovou nesta terça-feira uma homenagem a Paulo Freire e alguns parlamentares recomendaram que Bolsonaro lêsse os livros dele.

"Você falar, querer acabar com a TV Escola? Atribuir esse adjetivo de energúmeno a Paulo Freire? Eu não posso me calar. Paulo Freire nos faz pensar, ele nos ensina a pensar. Eu queria sugerir ao presidente da República que procedesse a leitura de algumas obras de Paulo Freire", disse Fabiano Contarato (Rede-ES).