Abraham Weintraub
Agência Brasil
Ministro voltou a afirmar que há plantação de maconha em universidades

O deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE) entrou nesta quinta-feira (12) com um pedido de demissão contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub , no Conselho de Ética da Presidência da República. O pedido foi feito pelo parlamentar após Weintraub reafirmar que "há plantação de maconha" e produção de "drogas sintéticas em laboratórios" nas universidades federais brasileiras.

Segundo o parlamentar, os exemplos dados pelo ministro citando a UnB e a UFMG não resultaram no envolvimento das instituições em ações criminosas. "As ofensas propaladas contra cidadãos, assim como a sistemática divulgação intencional de denúncias falsas,violam, de maneira patente, os princípios constitucionais da administração pública, as regras de conduta ética e caracterizam improbidade administrativa", afirmou o deputado.

Leia também: "Sou contra drogas e acho sua gestão uma droga", diz deputado a Weintraub

Na representação, Costa ainda cita outros casos em que Weintraub proferiu ofensas em ataques. Um deles foi quando o ministro respondeu uma seguidora no Twitter que o criticou por comentários contra a República. O caso aconteceu em 15 de novembro e a seguidora disse que, caso o Brasil voltasse a ser uma monarquia, o ministro seria o "bobo da corte". Weintraub respondeu insultando a seguidora, chamando-a de "égua sarnenta".

Leia também: "Traficantes encontram refúgios nas universidades", diz Weintraub na Câmara

De acordo com o Código de Ética da Alta Administração Pública, "a dignidade, o decoro, o zelo, a eficácia e a consciência dos princípios morais são primados maiores que devem nortear o servidor público".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários