Tamanho do texto

Demitido pelo presidente Jair Bolsonaro em junho, ex-ministro afirmou que sua saída do governo foi o resultado de ataques de uma milícia digital

Carlos Alberto dos Santos Cruz arrow-options
Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Carlos Alberto dos Santos Cruz

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga as fake news (CPMI das Fake News) vai ouvir na próxima terça-feira (26) o ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Alberto dos Santos Cruz.

Leia também: Defesa de Lula quer fazer "vaquinha" para custear despesas com processos

O depoimento de Santos Cruz foi pedido pelo deputado Marcelo Ramos (PL-AM) e pelo senador Rogério Carvalho (PT-SE). “Em recente entrevista, o ex-ministro afirmou que sua saída do Ministério foi o resultado de ataques de ‘uma milícia digital, uma gangue de rua que se transfere para dentro da internet’, ligada a apoiadores do presidente Jair Bolsonaro”, disse Carvalho.

“As afirmações do general vêm ao encontro do tema debatido nesta CPMI”, acrescenta Ramos. 

Santos Cruz foi demitido em junho  por conta da  "falta de alinhamento político-ideológico" e embates com outros integrantes do próprio governo. O ex-ministro é desafeto declarado do filósofo Olavo de Carvalho, considerado o guru ideológico do presidente. O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), também comprou briga com o militar após troca de ofensas públicas com Olavo.