Tamanho do texto

Eduardo e Carlos Bolsonaro, Manuela d’Avila, Joice Hasselmann, Renan Calheiros e Carla Zambelli comentam a liberdade do ex-presidente Lula

Lula saindo da prisão arrow-options
Gibran Mendes / CUT Paraná
Lula saindo da prisão.

Após a decisão do STF de proibir a prisão em segunda instância, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou a Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba (PR), nesta sexta-feira (8). A soltura do presidente, deixou inúmeros políticos inconformados ou eufóricos.

Leia também: O que pode acontecer com Lula após fim de prisão em segunda instância

Os filhos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foram um dos primeiros a reagir. “Pedem prisão para assassinos de Marielle, mas querem soltar bandidos de seus partidos”, afirmou o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Ele teve apoio do seu irmão, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) que disse ter certeza de que a situação irá se reverter.

Para comemorar o evento Manuela d'Ávila, que foi candidata a vice-presidência pelo PCdoB ao lado de Fernando Haddad (PT), postou em sua rede social um foto com Lula e usou a hashtag #sextou.

“O chefe do maior esquema de corrupção da história do mundo sairá pela porta da frente. Vergonha mundial”, contrapôs Joice Hasselmann, deputada federal do PSL-SP.

Leia também: Deputados votam PEC da prisão em 2ª instância na segunda-feira

No entanto, ao olhar de Renan Calheiros, senador do MDB-AL, “a liberdade de Lula repara apenas parte da trama para tirá-lo do páreo em 2018”. Para ele, Lula foi condenado sem provas e ele pede que a sentença do ex-presidente seja anulada.

Veja outras reações:


    Leia tudo sobre: Lula