Tamanho do texto

Processo foi instaurado após Dallagnol afirmar que algumas decisões do Supremo passavam uma mensagem de “leniência’ a favor da corrupção

Deltan Dallagnol arrow-options
Rodolfo Buhrer/La Imagem/Fotoarena/Agência O Globo)
Deltan Dallagnol poder[a ser julgado pelo CNMP

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux , cassou nesta quarta-feira (6) uma liminar que impedia o julgamento do procurador da República Deltan Dallagnol pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A decisão de Fux atende a um pedido feito pela Advocacia-Geral da União (AGU).

Leia também: Lava Jato teria ocultado informação de Weber ao pedir apoio para investigar Lula

Dallagnol  é o coordenador da Força-Tarefa da Operação Lava Jato no Paraná. Em agosto, uma decisão da Justiça Federal suspendeu o julgamento de um processo administrativo disciplinar contra ele.

O processo foi instaurado depois que Deltan deu uma entrevista à rádio CBN afirmando que algumas decisões do Supremo passavam uma mensagem de “leniência’ a favor da corrupção.

Leia também: Dallagnol recusa hipótese de promoção para continuar na Lava Jato

Na ocasião, Dallagnol criticou a decisão do STF de transferir para a Justiça Federal do Distrito Federal os depoimentos de delatores da Odebrecht referentes ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e dos ex-ministro Guido Mantega.

"Os três membros de sempre do Supremo Tribunal Federal que tiram tudo de Curitiba e mandam tudo para a Justiça Eleitoral e que dão sempre os habeas corpus, que estão sempre se tornando uma panelinha assim...que mandam uma mensagem muito forte de leniência a favor da corrupção", disse o procurador.

Leia também: Gilmar ataca procuradores da Lava Jato: "Prisões eram elemento de tortura"

Em sua decisão, Fux disse que o processo contra Dallagnol deve ser julgado até o seu final e determinou que a Procuradoria-Geral da República se manifeste sobre o assunto.