Tamanho do texto

As acusações foram delatadas pelo ex-funcionário, Alexandre Junqueira. Gil Diniz é líder do PSL na Alesp e mesmo com acusações se mantém no cargo.

Gil diniz arrow-options
Carol Jacob/Alesp
Deputado Gil Diniz quer isentar ICMS para compra de armas de fogo por praticantes de tiro esportivo, policiais e militares

O deputado estadual Gil Diniz, líder do PSL na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp),  está sendo investigado pelo Ministério Público em um inquérito que apura um esquema de 'rachadinha'.

As apurações foram instauradas nesta segunda-feira (21) denúncias que apontam para Diniz como operador de esquemas de repasse de salários. 

Leia mais: Eduardo Bolsonaro destitui 12 vice-líderes do PSL ligados a Bivar

As acusações foram delatadas pelo ex-funcionário Alexandre Junqueira. Uma representação foi enviada por ele à Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo, informando que Diniz solicitava a devolução de uma parte do salário e das gratificações dos seus assessores. 

A Alesp foi requisitada para enviar cópias de comprovantes dos pagamentos da remuneração e qualificação dos funcionários que trabalhavam no gabinete do deputado. A análise será feita desde o início da legislatura.

Leia também: Prisão em 2ª instância mira população pobre, preta e periférica, diz advogada

A liderança na Alesp continua sendo de Diniz, apesar das denúncias. 

O processo de investigação vai acontecer tanto pelo Ministério Público de Contas, em parceria com o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, quanto pela Procuradoria-Geral de Justiça, segundo informações apuradas pelo G1.