Tamanho do texto

Uma das principais parcerias destacadas por Doria é com a NEC Corporation, que vai implantar o sistema de reconhecimento facial no transporte público

João Doria no Japão arrow-options
Reprodução/Twitter
Governador de São Paulo passou a semana no Japão com a intenção de atrair investimentos para São Paulo

Nesta sexta-feira (20), no último dia da missão Japão, o governador de São Paulo João Doria abriu o seminário Business Opportunities in the State of São Paulo (Oportunidades de Negócios no Estado de São Paulo), e depois reuniu-se com cerca de 20 representantes de empresas que querem ampliar os investimentos no Estado de São Paulo e com outras instituições que estão interessadas em ingressar no mercado paulista.

Leia também: "Queimada tem todo ano, até por uma questão de tradição", diz Bolsonaro

"Os resultados foram bastante positivos, como em todas as outras missões que realizamos. Conseguimos viabilizar mais investimentos, mais empregos e melhores perspectivas para investimentos futuros, de médio e longo prazo. Destaco aqui, a Toyota, que fará um aporte de R$ 1 bilhão em São Paulo, que será totalmente efetivado até dezembro de 2020. Serão gerados 300 empregos diretos e outros 3 mil indiretos em Sorocaba e Região", destacou Doria .

O governador também pontuou a parceria com a NEC Corporation, empresa de tecnologia japonesa, para implantar o sistema de identificação facial no Metrô e na CPTM. "Vamos dar um salto de qualidade, saindo do bilhete de papel para uma tecnologia mais moderna, que vai reduzir a zero as fraudes e oferecer mais qualidade e rapidez aos usuários."

Além do interesse no programa de desestatização do Governo de São Paulo, que tem 21 projetos de PPP e concessão em andamento, bancos e investidores japoneses querem participar de projetos na área ambiental, que envolvam preservação. “Nos encontros que tivemos com várias empresas nos foram oferecidos suporte, tecnologia e financiamento, de médio a longo prazo, para projetos na área ambiental. Em especial, para despoluição dos rios Tietê e Pinheiros e para reflorestamento e preservação ambiental", explicou Doria.

Leia também: Bolsonaro passa por exames e viagem à Assembleia da ONU em Nova York é liberada

No período da tarde, último compromisso da viagem, a delegação paulista reuniu-se com Katsuhiro Miyamoto, Vice-presidente da Nippon Steel Corporation, empresa de aço com sede em Tóquio.  Durante o encontro, foram apresentados os Polos de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo e a cartela de investimentos disponíveis.

Em maio, o Governo de São Paulo anunciou a criação de 12 polos de desenvolvimento econômico para apoiar empresas que estão ou pretendem se instalar no Estado.  Os polos atuam nos setores de tecnologia; alimentos e bebidas; automotivo; biocombustíveis; couro e calçados; derivados de petróleo e petroquímico; eco florestal; metal-metalúrgico; químico, borracha e plástico; saúde e farmácia; para indústria de papel, celulose e reflorestamento; e têxtil, vestuário e acessórios.