Tamanho do texto

Cerca de 110 policiais participaram da operação, cumprindo 37 mandados. Além do ex-deputado, o superintendente dos Correios também foi preso

Indio da Costa arrow-options
Reprodução/Facebook
O ex-deputado Indio da Costa foi preso durante operação contra corrupção nos Correios.

A Polícia Federal (PF) prendeu o ex-deputado Indio da Costa nesta sexta-feira (6) durante a Operação Postal Off. O político é alvo de investigação sobre fraudes que causaram prejuízo de R$ 13 milhões aos Correios.

Leia também: Witzel diz que manifestante é “maconheiro” após ser chamado de fascista 

Cerca de 110 policiais federais participaram da operação, cumprindo 12 mandados de prisão e 25 ordens de busca e apreensão em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. O superintendente estadual de operações dos Correios , Cléber Isaías Machado, também foi preso na durante a ação da PF .

A Justiça determinou o bloqueio de R$ 40 milhões das contas e bens dos investigados, incluindo carros de luxo e duas embarcações. Em entrevista, o delegado Christian Luz Barh, da PF ee Santa Catarina, explicou o esquema de corrupção. “"As grandes empresas que necessitam desse serviço de postagem - entrega de faturas, documentos em geral - têm um volume muito grande de correspondências. Elas precisam de empresas que façam a produção, a preparação de postagem e entrega no Correio, para que entre no fluxo postal”, afirmou o delegado.

“Eles tinham várias formas de burlar, às vezes com a ajuda de funcionários dos Correios, e colocavam no fluxo postal sem pagamento”, completou Barh.

Agora preso, Indio da Costa foi candidato a governador do Rio de Janeiro nas eleições de 2018. Na ocasião, ele foi o sexto colocado do primeiro turno, com 5,95% dos votos. Além disso, ele foi companheiro de chapa de José Serra (PSDB) nas eleições presidenciáveis de 2010.