IstoÉ

Fernando Haddad foi condenado por crime de caixa dois em sua campanha de 2012
Ricardo Stuckert
Fernando Haddad foi condenado por crime de caixa dois em sua campanha de 2012


Quando Fernando Haddad apostou no slogan “Haddad é Lula” para conseguir a transferência de votos na campanha à presidência em 2018, talvez não tenha imaginado que o lema o perseguisse por tanto tempo. O juiz Francisco Shintate considerou que o petista tem “culpabilidade extremamente elevada” na denúncia de caixa 2 na campanha à Prefeitura de São Paulo em 2012, na qual foi eleito.

Leia também: "Acusação falsa", diz Fernando Haddad sobre condenação

A Promotoria aponta o valor de R$ 2,6 milhões em recursos negociados ilegalmente entre Haddad e a UTC Engenharia, que teriam sido maquiados nas contas de campanha com notas fiscais de gráficas. A condenação o sentenciou a quatro anos e seis meses em regime semiaberto, e cabe recurso. O ex-prefeito se defendeu pelo Twitter, afirmando apenas que “não há hipótese de eu não vencer”. Com base nessa decisão e nesse crime, provavelmente ele não ficará atrás das grades, mas, se de fato “Haddad é Lula”, precisará lidar com uma série de outras denúncias e condenações que aparecerão conforme a Justiça vasculhar suas contas de campanha — o PT tem maestria em antecedentes criminais nessa área.

Você viu?

Leia também: Haddad é condenado por crime de caixa dois nas eleições de 2012

Pais e filhos neozelandeses

Durante um debate no Parlamento da Nova Zelândia, viralizou a imagem do presidente da Casa, Trevor Mallard, embalando um bebê. A criança nem era dele, e sim de Tamati Coffey, outro membro do parlamento, que acabara de retornar de sua licença paternidade e levou o filho para a sessão. Isso já aconteceu antes entre os neozelandeses: a primeira-ministra do país, Jacinda Arden, levou sua filha de três meses para uma Assembleia Geral das Nações Unidas, em setembro do ano passado.

CULTURA
Tudo tem limite

Para o secretário especial de Cultura, Henrique Pires (foto), a suspensão pelo governo de um edital que selecionou séries para abordar a diversidade de gênero e sexualidade na TV pública foi a “gota d’água”, e deixou o cargo. Ele era subordinado ao ministro da cidadania, osmar terra. este afirmou que o demitiu. Henrique disse ter respeito pelo presidente e pelo ministro,
mas que “não iria chancelar censura”.

CRIME
Jovem invade escola e fere alunos com machado

Inspirado pelo massacre de Suzano, um adolescente de 17 anos invadiu o Instituto Estadual Educacional Assis Chateaubriand, em Charqueadas, no RS. Ele era ex-aluno da escola. Consigo, tinha um coquetel molotov, uma machadinha, gasolina e uma corda. Segundo a investigação, a intenção era assassinar um desafeto, colocar fogo na escola e se matar, mas ele foi detido por um professor após colocar fogo na sala de aula. Mesmo assim, feriu sete pessoas com golpes de machado, fugiu para casa e foi entregue à polícia pelo pai.

JUSTIÇA
Sequestrador de Washington Olivetto é extraditado

Um acordo entre o Brasil e o Chile definiu a extradição do chileno Maurício Hernández Norambuena (foto). Ele é conhecido em terras brasileiras como o sequestrador do publicitário Washington Olivetto, e condenado pela Justiça do país à pena máxima de 30 anos, dos quais já cumpriu 16. No Chile, ele é ainda mais perigoso: condenado a duas prisões perpétuas por crime de terrorismo. Ele integrou a Frente Patriótica Manuel Rodríguez — onde era conhecido como “comandante Ramiro”. A extradição foi acordada sob a condição de ele não ser submetido à prisão pelo resto de sua vida e à pena de morte, garantias dadas pelo ministro da Justiça do Chile, Hernán Larraín.

    Leia tudo sobre: Lula

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários