Tamanho do texto

Apoiadores de Jair Bolsonaro criticam escolha de Leandro Karnal para palestra que faz parte da campanha encabeçada pelo ministro; entenda

Em pouco mais de 48 horas desde que criou sua conta no Twitter , o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, já tem causado muitas reações na rede social. Neste sábado (6) ele compartilhou com seus seguidores que realizou uma campanha interna para reforçar práticas éticas entre os servidores da pasta.

undefined
Magalhães Jr. / Photopress / Agência O Globo
Sergio Moro publicou uma espécie de "dez mandamentos" sobre as práticas éticas, usadas em uma campanha destinada a seus funcionários no ministério

Segundo ele, a iniciativa foi uma das primeiras adotadas por ele no ministério e, apesar de “simples” ele e os “demais responsáveis” se orgulham muito. “Lançamos a campanha com uma palestra do [professor e filósofo] Leandro Karnal (muito brilhante) e do Deputado [federal] Marcelo Calero, esta para ele relatar aquele episódio no Governo anterior e no qual preferiu se demitir do que atender solicitação ilegal de colega Ministro”, escreveu Moro .

A postagem, no entanto, não foi muito bem recebida pelos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Uma usuária chegou a relembrar uma notícia veiculada em 2017 que dizia que Karnal havia apagado uma publicação com uma foto ao lado do ministro após a repercussão negativa entre os seguidores do professor nas redes sociais, admirado por alguns militantes de esquerda.

Outro seguidor que não gostou muito da escolha de Karnal chegou a questionar o ministro: "Essa eu não entendi".


Leia também: No Twitter, Moro defende audiência em videoconferência "como regra, não exceção"

Moro também postou uma espécie de passos ou de “dez mandamentos” que devem nortear a conduta no ministério. Entre os pontos ele destaca, por exemplo, que “o poder público não é um negócio de família”. Outra recomendação de Moro é: “não devemos receber presentes ou qualquer outra vantagem pessoal.

O ministro também ressalta que “se tiver que escolher entre o fácil e o certo, opte pelo certo, além de dizer que “a sociedade quer ação do agente público, nunca acomodação”. O ministro da Justiça termina a sequência de publicações pedindo participação na gestão da pasta, por meio da ouvidoria do órgão.

Confira "as 10 mensagens"

  1. Todos somos responsáveis pela integridade, reputação e imagem do ministério;
  2. O combate à impunidade é nosso dever;
  3. A transparência é a nossa regra, sigilo é exceção;
  4. O Poder Público não é um negócio de família;
  5. Respeite o colega de trabalho. Trate todos com urbanidade;
  6. O interesse público deve sempre prevalecer;
  7. Nós não devemos receber presentes ou qualquer outra vantagem pessoal;
  8. Se tiver que escolher entre o fácil e o certo, opte pelo certo;
  9. A sociedade quer ação do agente público, nunca acomodação;
  10. Participe da gestão do ministério. A ouvidoria é o nosso canal.

Sergio Moro criou o seu perfil oficial no Twitter nesta quinta-feira (4). Ele avisou, nas primeiras publicações, que usaria a página, principalmente, para defender o projeto de lei anticrime. Em pouco mais de dois dia na rede, Moro já tem mais de 530 mil seguidores.

*Com informações da Agência Brasil