Tamanho do texto

Parlamentares formalizaram um bloco de oposição com 97 deputados do PT, PSOL, PSB e Rede; os deputados também pediram uma CPI do Caso Queiroz

Parlamentares pedem justiça por Marielle e Brumadinho na Câmara
Reprodução/Twitter
Parlamentares pedem justiça por Marielle e Brumadinho na Câmara

Durante a posse na Câmara dos Deputados nesta sexta-feira (1ª), partidos como PT, PSOL, PSB e Rede formalizaram um bloco de oposição ao governo de Jair Bolsonaro (PSL) e levantaram placas com homenagens a Marielle Franco, a Jean Wyllys e a Brumadinho, além de pedirem soltura de Lula, demarcação de terras indígenas e uma investigação do caso Queiroz. 

Leia também: Agora deputado, Aécio Neves é vaiado durante sessão de abertura da Câmara

Com a hashtag #UniãoDaEsquerdaJá, parlamentares formalizaram um bloco de oposição com 97 deputados, que têm como principais objetivos atuar "em defesa da democracia, dos direitos sociais e da aposentadoria". Além disso, o grupo afirmou que vai lutar por uma Câmara dos Deputados independente do governo Bolsonaro. 




Durante a cerimônia na Câmara, Rodrigo Maia pediu pediu para que os parlamentares não levantassem placas no plenário. No entanto, deputadas como Luiza Erundina (PSOL), que tomou posse de seu quinto mandato na Casa, levantou um cartaz com os dizeres "contra a corrupção e as milícias!". 

Leia também: Toffoli propõe "pacto entre os poderes" pelas reformas em discurso no STF

Ao seu lado, outros parlamentares aparecem protestando por justiça pelo assassinato de Marielle Franco e Anderson.  A oposição também levantou cartazes com os dizeres "Brumadinho não foi acidente" e "demarcação das terras indígenas já". Na foto, o substituto de Jean Wyllys, David Miranda, também protestou pelo fim da LGBTfobia. 

Suplente de Jean Wyllys protesta por direitos a comunidade LGBT na Câmara, atrás, Marcelo Freixo homenageia Marielle Franco
Reprodução/Twitter
Suplente de Jean Wyllys protesta por direitos a comunidade LGBT na Câmara, atrás, Marcelo Freixo homenageia Marielle Franco

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, também estava presente e se manifestou pedindo pela soltura do ex-presidente Lula. "Na posse da Câmara dos Deputados, sempre #LulaLivre", escreveu. A oposição ainda pediu a abertura de um inquérito para investigar o Caso Queiroz, uma movimentação de contas atípicas envolvendo Flávio Bolsonaro e seu ex-assessor. 

Leia também: Partidos começam a definir suas lideranças na Câmara dos Deputados

Deputados pedem por Lula Livre e investigação do Caso Queiroz
Reprodução/Twitter
Deputados pedem por Lula Livre e investigação do Caso Queiroz




A oposição ainda se reuniu no bosque da Constituinte, ao redor de uma aroeira plantada por Lula. "Reafirmamos nosso compromisso em defender a democracia, o povo brasileiro e seus direitos. Uma homenagem dessa bancada que seguirá unida por #LulaLivre", escreveu Maria do Rosário. 


Os novos parlamentares iniciam os trabalhos hoje com uma Câmara dos Deputados de maior renovação em mais de 30 anos. Dos 513 deputados eleitos, 244 vão ocupar as cadeiras pela primeira vez.