Tamanho do texto

Governador do Rio de Janeiro acompanhou o enterro do primeiro policial morto em serviço no estado no ano de 2019 e subiu o tom contra criminosos

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, prometeu combater fortemente o crime organizado durante o velório de policial que foi morto em confronto com criminosos
Divulgação
O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, prometeu combater fortemente o crime organizado durante o velório de policial que foi morto em confronto com criminosos

O governador do Rio, Wilson Witzel, garantiu neste domingo (6) que o seu governo vencerá o crime organizado, usando de todos os meios para isso. Ele esteve presente hoje ao sepultamento do soldado Daniel Henrique Mariotti, morto no sábado (5), em confronto com assaltantes, e fez questão de carregar o caixão do militar.

Leia também: Policial mandou mensagem para o pai pouco antes de ser morto no RJ

"Nós não vamos permitir que o crime organizado continue barbarizando a nossa sociedade. É preciso agir com rigor. Nós temos a convicção de que vamos vencer o crime organizado. O Estado é mais forte. Vamos utilizar todos os esforços e meios para aniquilar e asfixiar o crime organizado", declarou Witzel , após o sepultamento do soldado.

O comandante da Polícia Militar, alçado a secretário de estado no atual governo, coronel Rogério Figueiredo, também destacou que a ação de criminosos contra policiais será respondida de forma enérgica.

"A nossa resposta sempre vai ser muito forte. Não vamos admitir qualquer enfrentamento à Polícia Militar. Qualquer policial militar que for vitimado, a PM dará resposta dentro da forma da lei", disse Figueiredo.

Leia também: Motorista bêbado atropela três policiais do GATE na Dutra; um agente morreu

Quem também se manifestou após a morte do policial foi o presidente Jair Bolsonaro . "Meu pesar à família de mais um PM assassinado no RJ, o soldado Mariotti. A caça aos agentes de segurança e o massacre dos cidadãos de bem sempre foram tratados como números. Legislativo, Executivo e Judiciário juntos, devem na lei, propiciar garantias para que o bem vença o mal", escreveu o presidente em sua conta no Twitter.

Depois do ocorrido, as polícias militar e civil do estado estão realizando operação conjunta em comunidades da Zona Norte do Rio neste domingo. O objetivo é localizar e prender os assassinos que balearam o  policial .

O soldado Daniel Henrique Mariotti foi o primeiro policial militar morto no estado do Rio de Janeiro em 2019.  Assassinado por criminosos que tentavam fazer um arrastão na Linha Amarela na altura do bairro de Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, e se depararam com o grupo de policiais do 22º Batalhão da Polícia Militar (BPM) da Maré que faziam um deslocamento de motocicletas da corporação pela região no sábado (6).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.