Tamanho do texto

Presidente eleito afirmou que fará parcerias com o país do Oriente Médio para beneficiar o Nordeste com projetos de dessalinização de água

Ministro da Ciência e Tecnologia de Bolsonaro, Marcos Pontes deve visitar Israel para tratar de projetos para o Nordeste
Rafael Carvalho/Governo de Transição
Ministro da Ciência e Tecnologia de Bolsonaro, Marcos Pontes deve visitar Israel para tratar de projetos para o Nordeste

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta terça-feira (25) que o futuro ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes , visitará em janeiro instalações de dessalinização, plantações e o escritório de patentes em Israel. Por meio de seu perfil no Twitter, Bolsonaro afirmou que fará parcerias com o país do Oriente Médio para beneficiar o Nordeste com projetos de dessalinização de água.

“Também estudamos junto ao embaixador de Israel e empresa especializada testar tecnologia que produz água a partir da umidade do ar em escolas e hospitais da região. Poderemos, inclusive, negociar a instalação de fábrica no Nordeste para venda desses equipamentos”, escreveu Bolsonaro no Twitter.

Ainda em janeiro, espera-se que seja implantada no Nordeste brasileiro uma instalação piloto para tirar água salobra de poços, dessalinizar, armazenar e distribuir para a agricultura familiar da região.

Leia também: "Regulamentações serão revogadas rapidamente", garante Bolsonaro

Também pelo Twitter, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, comentou a proposta do presidente eleito e afirmou que “quem enfrentou a seca no Nordeste foi Lula”. “Essa conversa do Bolsonaro que vai adotar tecnologias israelenses para dessalinizar água marinha para falta de água no Nordeste é lobby para empresas israelenses”, criticou Gleisi.

Leia também: Marcos Pontes promete aconselhar Bolsonaro sobre saída do Acordo de Paris

“Israel tem menos de 21 mil km² de área. Menor que Sergipe. O Nordeste tem área de 1.558 mil km². Tá certo que Sérgio Moro quer regulamentar o lobby, mas isso não poderá permitir que empresas de Israel vendam tecnologias aqui, sem licitação e sem conhecimento da nossa realidade”, escreveu Gleisi em outra postagem.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.